quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

DE PAULA COMENTA DENÚNCIAS CONTRA MARTINI


O vice-prefeito de Sarandi, Carlos Alberto de Paula Junior (PDT)comentou pela primeira vez, a série de inquéritos abertos pelo Ministério Público (MP) e a Comissão Processante (CP) instaurada na Câmara contra o prefeito Milton Martini (PP). Ele disse que “não compactuar com a administração de Martini” e confirmou ter pedido exoneração do cargo de secretário de Planejamento. O vice-prefeito confessou estar “envergonhado por ter sido candidato ao lado de Martini. “Eu não sabia que ele era uma pessoa tão complicada, nem que ele ia se envolver em tantas denúncias.”
De Paula afirmou que não foi o articulador das denúncias contra a administração. “Eu não protocolei nenhuma denúncia contra o prefeito, mas quero que todas sejam apuradas com rigor.”
Martini responde a 46 processos instaurados pelo Ministério Público (MP). O vice-prefeito anunciou que a próxima denúncia contra a prefeitura será protocolada por ele. “Vou denunciar o superfaturamento na compra de massa asfáltica.”Ele também comentou sobre a declaração de Martini de que a compra feita pela prefeitura na loja do ex-chefe de Gabinete, Ailson Carvalho, foi um engano. A aquisição motivou a abertura da CP na Câmara. De Paula disse que seria muita coincidência o fato de o “prefeito comprar, por engano na loja do chefe de Gabinete”.

“O Ailson andava com ele o dia inteiro”, disse.

De acordo com o vice-prefeito, o veneno comprado nem pode ser utilizado. “O secretário de Meio Ambiente (José Luiz) afirmou pra mim que aquele agrotóxico é de uso proibido.” Além disso, segundo ele, a secretaria de Meio Ambiente só tem dois funcionários para utilizar as 10 bombas compradas.

Para o vice-prefeito, a devolução do dinheiro correspondente à compra, que Martini disse já ter feito, não muda nada. “Se eu roubar sua carteira e devolver deixa de ser roubo?”, indagou.

Fonte: Blog Mineiro

Após denúncias de irregularidades, governo de Milton Martini sofre desmonte


O governo do prefeito de Sarandi, Milton Martini (PP), está sofrendo um desmonte depois de ser acusado de cometer uma série de irregularidades, entre elas a compra de produtos agropecuários na loja de um ex-servidor.
O PC do B anunciou nesta quinta-feira (3) que vai deixar os quatro cargos que ocupa na administração. O secretário de Meio Ambiente e presidente municipal do Democratas (DEM), José Luis de Almeida, diz que estuda adotar a mesma medida. Há mais de um mês o vice-prefeito,Carlos De Paula(PDT), já havia abandonado a função de secretário de Planejamento.
Entre os cargos que serão entregues pelo PC do B está a diretoria do Departamento de Esporte e Cultura, ocupada por Valmir Tentemplis Martins. Os outros três cargos pertencem a mesma pasta. Um ato na manhã de sexta-feira (4), às 10h, marcará saída da legenda do governo. "Tudo isso que está acontecendo vai contra o nosso posicionamento ideológico. Durante a campanha, o prefeito pregava transparência, mas hoje nem ele mesmo conversa conosco para explicar esses fatos", diz o presidente do PC do B, Fábio de Oliveira Bernardo.O secretário de Meio Ambiente e presidente municipal do Democratas (DEM), José Luis de Almeida, afirma que na próxima semana se reunirá com os filiados da legenda para discutir a possibilidade de também deixar o governo. "Existe essa chance, sim. Vou conversar com os colegas e vamos definir o que fazer". A decisão também afetaria o diretor do Meio Ambiente do município, Celso Poreli, que é ligado ao partido.
Já fora da Secretaria de Planejamento, o vice-prefeito,Carlos De Paula (PDT) conta que está surpreso com as denúncias e que agora vai atuar na fiscalização de supostas novas irregularidades. "Recebi uma denúncia de superfaturamento na compra de massa asfáltica. Vou solicitar documentos à Prefeitura e, caso isso proceda, vou acionar o Ministério Público."
Martini, que é advogado, elegeu-se com uma coligação que envolvia onze partidos: PP, PDT, PRP, PC do B, PSC, PTC, PSB, DEM, PMN, PRB e PSDC. Os demais partidos se dividiram no apoio aos outros três candidatos. Martini venceu a eleição por quase 900 votos de diferença, 18.213 (43,65%), contra 17.314 (41,50%) do candidato Walter Volpato (PSDB).

Outro lado

Por meio da assessoria de imprensa, a administração municipal de Sarandi informa que, até esta quinta-feira, não recebeu nenhum pedido formal de desligamento por parte de funcionários ou secretários. Ressaltou, contudo, que um eventual desejo dos partidos aliados nesse sentido será respeitado. Caso haja saídas, os cargos vagos serão ocupados "por quem deseja prestar serviço à sociedade".

Em relação ao caso do secretário de Meio Ambiente, José Luis de Almeida, a assessoria informa que conhece a vontade de Almeida deixar o governo, mas destaca que ele não deve retirar o partido da coligação que apoia Martini.

Inquéritos e investigação

Segundo o Ministério Público, a administração municipal está respondendo a 36 inquéritos que tramitam em segredo de Justiça. Por conta disso, na última segunda-feira (30), a Câmara Municipal aprovou a criação de uma Comissão Processante (CP) para investigar as supostas irregularidades. A CP é formada pelos vereadores Luiz Carlos Aguiar (PPS), Aparecido Bianco (PT) e José Roberto Grava (PSC) e terá prazo máximo de 90 dias para encerrar os trabalhos.
A comissão, vai, por exemplo, apurar se o ex-chefe de gabinete, Ailson Donizete de Carvalho, adquiriu na própria loja, sem licitação, dez bombas de passar veneno e 150 litros de herbicida, por R$ 8 mil. Carvalho foi demitido depois da compra. Os vereadores dizem ainda que outras denúncias, inclusive de corrupção, têm chegado à Câmara, mas em todos os casos há dificuldade de acesso aos documentos.
O prefeito Milton Martin (PP) fez, na última segunda-feira (30), uma reunião para se defender das acusações. Ele mostrou documentos e cópias de cheques da compra. "Não tínhamos conhecimento (de quem era o dono da loja) e fizemos o processo de dispensa da licitação de forma legal. Assim que ficamos sabendo, foi devolvido o dinheiro aos cofres públicos", disse na oportunidade. Desde então ele não está mais se manifestando sobre o assunto.

Fonte:Jm Maringá

ESTÃO ABANDONANDO O BARCO

Comçou a debandada geral no primeiro escalão do prefeito Milton Martini, de acordo com as informações, o secertário do meio âmbiente José Luiz    já teria pedido demissão. Outra informação é sobre a possível saída do  Partido PC doB do governo Milton. Pela jeito estão abandonando o  barco pois, o mesmo esta afundando e ai é o verdadeiro Salve-se quem poder.

DENÚNCIAS CONTRA PREFEITO EDGAR SILVESTRE DE MARIALVA

Estive hoje no município de Marialva fazendo uma série de reportagens para a Rádio Banda1, sobre irregularidades na administração do prefeito Edgar Silvestre ( Deca).
Uma delas é falsificação de um documento de Certidão Negativa de Débitos e Tributos Estaduais que, segundo o Vereador  Nelson Griitdner Neto, seria parte de um documento requisitado para ser anexado aos  demais que serian utilizados pela Comissão Especial de Investigação (CEI).
Outra denúncia é sobre compras que estão sendo feitas numa Gráfica de propriedade do Secretário De Esportes, Marco Aurélio Ruis Dolce e também compras numa Farmácia de propriedade do secretário de Saúde.O vereador Neto fez denuncia no Ministério Público de Marialva, contra o Prefeito Edgar Silvestre, por improbidade administrativa, segundo a Lei Orgânica do Município, pela compra de material gráfico cujo proprietário da empresa é o Secretário Municipal de Esportes da Prefeitura.
Na denúncia, formalizada pelo vereador, foram juntados todos os documentos que comprovam não apenas a compra, como também os documentos pessoais que comprovam que o proprietário da empresa é funcionário da Prefeitura.
O vereador Neto deverá pedir também na Câmara Municipal de Vereadores de Marialva uma Comissão Processante pedindo a Cassação do mandato do Prefeito Municipal Edgar Silvestre.É lá como cá tudo igual.
As entrevistas  sobre as denúncias você ouve nesta sexta-feira (4) pela Rádio Banda 1 no programa Antonio Santos.