terça-feira, 7 de setembro de 2010

Requião apanha de novo em público

Requião teria provocado. Oex-governador teria ido até a mesa onde estava João Feio e dito que seu ex-vice-governador Orlando Pessuti (que nomeou João Feio) seria preso, "porque Pessuti é ladrão".

O diretor do Porto teria reagido e afirmado que ladrão é o irmão de Requião, Eduardo Requião, que foi diretor do Porto. Em seguida, João deu dois tapas no rosto de Requião.
O ex-governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB) se envolveu novamente em um confronto físico com desafeto político. O fato ocorreu ontem (6) no restaurante Buffet de Leste, na Praia de Leste, em Pontal do Paraná.

O agressor foi o diretor comercial do Porto de Paranaguá, João Batista Lopes do Santos, conhecido como João Feio.
 
Imediatamente, José Maria Correia segurou João Feio, que havia pegado uma garrafa para continuar a agressão.

No restaurante estavam Ângelo Vanhoni e o prefeito de Pontal do Sul Rudisnei Gimenez e cerca de 600 pessoas que participavam de um evento da coligação "A união faz um novo amanhã".

Requião deixou o local rapidamente. Em seu Twitter, o ex-governador comentou o fato. Disse que a "violência desnecessária é recurso dos fracos" e que prefere a força moral.

Em julho, Rubens Bueno, presidente do PPS, deu um soco em Requião. O episódio ocorreu no Aeroporto de Campo Mourão e também naquela ocasião o ex-governador teria provocado o desafeto com ofensas verbais.