quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Morre o ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner


O ex-presidente argentino Néstor Kirchner morreu nesta quarta-feira (27) aos 60 anos em El Calafate, na Argentina.

Kirchner foi hospitalizado às 8h15 da manhã de hoje no hospital José Formenti, acompanhado por sua mulher, a atual presidente do país, Cristina Fernández Kirchner. Ele foi levado em uma ambulância de sua residência, Los Sauces, ao hospital.

A agência estatal argentina Télam confirmou que a morte foi decorrente de um infarto, mas ainda não houve boletim médico oficial sobre o caso. Segundo o jornal Clarín, o político sofreu uma parada cardiorrespiratória com morte súbita e não pode ser reanimado.

O ex-presidente já havia passado por duas cirurgias de emergência este ano, em fevereiro e setembro. Mas foram para corrigir obstruções em artérias coronárias. Na cirurgia de setembro, Kirchner foi submetido a uma angioplastia e teve um stent implantado.
Sensus: Dilma 58,6%; Serra 41,4%

Pesquisa Sensus divulgada nesta quarta-feira (27) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostra Dilma Rousseff (PT) com 58,6% dos votos válidos e José Serra (PSDB) com 41,4%. Para se chegar aos votos válidos são excluídos os eleitores que dizem votar em branco ou nulo e os indecisos.

O levantamento foi realizado entre 23 e 25 de outubro e ouviu 2 mil pessoas em 136 municípios. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de número 37.609/2010. A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em votos totais (que incluem os brancos, nulos e os indecisos), Dilma tem 51,9% e Serra 36,7%. Os eleitores que disseram votar branco ou nulo foram 4,7% e os que não souberam ou não responderam foram 6,8%.

No levantamento anterior, divulgado dia 20 de outubro, Dilma tinha 52,8% dos votos válidos e Serra 47,2%. Nos votos totais, a petista tinha 46,8% e o tucano 41,8%. No levantamento divulgado no dia 14 de outubro, Dilma Rousseff tinha 52,3% dos votos válidos. José Serra registrou 47,7%. Em votos totais, Dilma tinha 46,8%, e Serra, 42,7%.

 pesquisa divulgada nesta quarta traz também índices de rejeição. Foram 43% os que disseram não votar em Serra e 32,5% os que não votariam em Dilma. No levantamento anterior, 39,8% disseram não votar no tucano e 35,2% na petista.

A pesquisa mostra ainda que 69,7% dos eleitores acreditam que Dilma vai ganhar as eleições, contra 22,3% que esperam a vitória do tucano. O levantamento mostra ainda que 75,2% dos entrevistados assistiram os programas eleitorais na TV ou no rádio. Entre estes, 58% acham a propaganda de Dilma melhor e 42% preferem a de Serra.

Para o diretor do instituto Sensus, Ricardo Guedes, a ampliação da vantagem de Dilma se deve a fatores econômicos. Para ele, a disputa sobre “valores” perdeu espaço na eleição. “Houve um processo de desconstrução da imagem da Dilma no final do 1º turno e no início do 2º, mas no momento que a desconstrução aconteceu dos dois lados, a questão valorativa deixou de ser moeda principal e volta o foco para o econômico-político, em que Dilma abre vantagem”.




Datafolha: Dilma tem 56%, e Serra, 44%; veja detalhamento


O Datafolha divulgou na noite desta terça-feira (26) mais uma pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República. Na média nacional, segundo o levantamento, a candidata petista Dilma Rousseff tem 56% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), contra 44% do tucano José Serra, mesmos índices que os dois candidatos obtiveram no último levantamento, do dia 21 de outubro.

Nos votos totais (que contam brancos, nulos e indecisos), a petista tem 49%, e o tucano, 38%. Em branco, nulo e nenhum somaram 5%, não sabe, 8%. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 50%, e Serra, 40%. Brancos, nulos e nenhum eram 4%, não sabe somavam 6%.

Além dos números gerais, o Datafolha também calculou o percentual alcançado pelos candidatos em segmentos do eleitorado como sexo e nas regiões do país. O quadro ao lado mostra as intenções de voto totais (que não incluem brancos, nulos e indecisos) de Dilma e Serra apuradas pelo instituto.

Eleitorado masculino e feminino
Entre os homens, Dilma foi de 55% das intenções de votos totais do levantamento anterior para 53% agora. Serra passou de 38% da pesquisa do último dia 21 para 37% no levantamento desta terça.

Entre as mulheres, Dilma passou de 45% para 46%, e Serra, de 41% para 39%.
O absurdo da lei eleitoral




Após se entregar à polícia na terça-feira (26), o homem de 34 anos suspeito de praticar 40 estupros no estado do Rio foi liberado. De acordo com a polícia, o suspeito teve de ser solto porque a Lei Eleitoral proíbe prisões em casos onde não há flagrante cinco dias antes das eleições.

Segundo informações da 37ª DP (Ilha do Governador), 23 estupros teriam sido cometidos na Ilha do Governador, e outros 17 em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio.

De acordo com a polícia, com o objetivo de facilitar o crime, o suspeito procurava vítimas solteiras e que morassem sozinhas. Ele também invadia as casas das vítimas durante a madrugada e, com uma faca, fazia ameaças.