terça-feira, 30 de novembro de 2010

Se deram mal

Presos morrem soterrados em túnel para fugir de cadeia

Dois presos morreram soterrados por volta das 10h30 da manhã desta terça-feira, quando tentavam cavar um túnel para fugir da Penitenciária de Alcaçuz, no município de Nísia Floresta, no Rio Grande do Norte. Outros três detentos, que estavam envolvidos na escavação, escaparam com vida do desabamento.

O coordenador Penitenciário do Rio Grande do Norte, José Beques, disse que, dos três homens que sobreviram, um teve que ser resgatado pelos bombeiros, enquanto os outros dois conseguiram voltar sem ajuda. A fuga começou pelo banheiro da cela 7.

"A penitenciária tem um terreno arenoso, de dunas", disse o coordenador. "Quando a escavação passa o piso, fica fácil de cavar o terreno". Beques afirmou que o túnel era cavado em direção ao muro de saída do presídio. Os presos escondiam a terra em sacolas plásticas, disse o coordenador.
Secretário de prefeitura é assassinado 

O secretário de Indústria e Comércio de Capitão Leônidas Marques (78 km ao sul de Cascavel) , Jair Costa, 49 anos, foi assassinado no início da tarde desta terça-feira (30) na comunidade Linha Princesa, zona rural da cidade.

A informação é de que Costa foi à residência do agricultor Ataíde Correia, por volta das 13 horas, cobrar-lhe uma dívida, quando houve um desentendimento entre eles. O secretário sacou uma arma e disparou cinco tiros contra Ataíde, acertando-lhe três. No calor da confusão, uma irmã do agricultor entrou para dentro da residência, pegou um revólver calibre 38 e disparou um tiro na cabeça do secretário.

Costa andou alguns metros e caiu morto. O corpo seria encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal).

Já o agricultor, foi levado para um hospital da cidade e transferido para Cascavel, em estado grave. Ele foi ferido pelos disparos no peito, barriga e virilha.

A polícia esteve no local e investiga o crime. A autora do disparo que matou o secretário, Adelina Correia, está foragida. Com informações (Bonde).

Beto Richa divulga nomes de presidentes da Copel, Sanepar e Cohapar


Foram divulgados na tarde desta terça-feira (30) os nomes dos futuros presidentes da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e Companhia Paranaense de Energia (Copel). A equipe foi escolhida pelo governador eleito, Beto Richa (PSDB).

Munir Chaowiche vai comandar a Cohapar. O presidente da Sanepar será Fernando Ghignone. Já o escolhido para ser o presidente da Copel foi Lindolfo Zimmer.

Na verdade, Beto Richa esta levando grande parte da equipe que trabalhava com ele na prefeitura de Curitiba.
Nepotismo no futuro governo Beto Richa

O irmão do governador eleito, José Richa Filho, comandará a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, que será o resultado da integração de duas pastas – de Transporte e de Obras. Ele já ocupou o cargo de secretário municipal de Administração de Curitiba. Outros cargos: Para a Secretaria de Estado da Administração, o escolhido foi Luiz Eduardo Sebastiani, que atualmente é secretário municipal de Finanças de Curitiba.

O deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB) assumirá a Secretaria de Estado da Fazenda. A pasta da Saúde será comandada por Michele Caputo Neto, que atualmente é secretário municipal de Curitiba para Assuntos Metropolitanos e que já foi secretário municipal da Saúde duas vezes.

Ivan Bonilha, ex-Procurador Geral do Município de Curitiba, será o Procurador Geral do Estado e o deputado estadual Durval Amaral (DEM) será o secretário-chefe da Casa Civil.

Além desses, o governador eleito já havia anunciado que Flávio Arns – eleito vice-governador do Paraná – será o secretário de Estado da Educação.

Polícia desmonta comércio de produtos e drogas que funcionava em delegacia

Policiais civis e militares fecharam nesta terça-feira (30), durante uma operação pente-fino no interior da carceragem da delegacia de Campo Mourão, um verdadeiro ponto de comércio de drogas e produtos diversos. A operação durou cerca de cinco horas.

Do interior das 18 celas e das duas galerias, os policiais retiraram 20 gramas de haxixe, 25 gramas de crack, 15 gramas de cocaína, 500 gramas de maconha, 74 celulares, 24 facas, 43 estoques, quatro cachimbos, dois alicates, vários pregos, pen-drives, quatro tesouras, duas serras, medicamentos, uma pequena balança de precisão, um soldador elétrico, cerca de R$ 1 mil em dinheiro, além de cinco agendas com diversos nomes de presos devedores.

“Existia um verdadeiro ponto de comércio no interior da carceragem”, comentou o delegado, José Aparecido Jacovos. Segundo ele, uma parte dos objetos retirados durante a operação pente-fino entrou na carceragem através de visitas femininas. “Celulares, carregadores e outros objetos eram colocados em camisinhas e escondidos nas partes íntimas das visitas”.

A operação, segundo Jacovos, foi realizada após denúncias anônimas de que havia possibilidade de fugas e de uma rebelião no interior da delegacia, nos próximos dias. “A ação foi preventiva para evitar transtornos”.

Dois detentos foram identificados como lideres e ‘proprietários’ do ponto de comércio no interior da delegacia. “Eles serão autuados por associação ao tráfico e punidos com 30 dias sem receber visitas”, disse a delegada, Maria Nysa Moreira Nanni.

Com capacidade para 75 presos, a carceragem da delegacia de Campo Mourão, no Centro-Oeste do estado, está superlotada com 220 detentos.


Vereador Bianco afirma que médicos de Sarandi estão sem rceber salários

Na sessão da Câmara de vereadores desta segunda-feira(29), o vereador Aparecido Bianco (PT), disse que os médicos que atendem no Pronto Socorro municipal, estão há dois meses sem receber seus salários.

O vereador também falou sobre um pedido seu, através de um requerimento, solicitando que o prefeito Carlos de Paula realize um plebiscito com a população para saber se a mesma é a favor da vinda do lixo para Sarandi.

Ouça a entrevista.

Segurança

PM de Sarandi terá que desocupar prédio

De acordo com matéria divulgada pelo O diário, a 4ª Companhia de Polícia Militar de Sarandi poderá ter que trocar de endereço no próximo ano. Nesta segunda-feira (29), o presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), Nelson Bazzotti dos Santos, recebeu um pedido de desocupação do imóvel localizado na Avenida Ademar Bornia, que hoje serve de sede da PM.

No documento, a locadora Gleici Mara de Araújo solicita que o prédio seja devolvido no final do prazo contratual – em 31 de dezembro de 2010 - "nas condições recebidas, desocupado de pessoas e as chaves entregues após a vistoria". A proprietária do imóvel não foi localizada pela reportagem de O Diário para falar sobre a decisão de não renovar o contrato de locação para a PM.

Bazzotti acredita que essa manifestação pode ser resultado da rescisão do convênio que existia entre a Prefeitura de Sarandi e o Conseg, que implicava em repasses mensais no valor de R$ 8,6 mil para que o conselho arcasse com pequenas despesas das polícias Civil e Militar, entre elas o aluguel de R$ 1,5 mil da Companhia, atualmente com dois parcelas em atraso.

O convênio foi suspenso há um mês por orientação do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, que entende que as despesas com a PM e Civil devem ser de responsabilidade do governo estadual e não do município.