Em mais um dia de lotação no PAM, paciente se revolta e tira a roupa

Uma mulher de 57 anos se revoltou com a demora por atendimento no Pronto-Atendimento Municipal (PAM), problema que a população vem enfrentando há várias semanas em Londrina, e tirou a blusa em sinal de protesto na tarde desta terça-feira (29). Segurando a roupa nas mãos, Raquel Basseto disse que só iria voltar a se vestir após ser atendida por um médico. Ela chegou à unidade às 11h25 com hemorragia gástrica, foi triada pela equipe de enfermagem, mas, até as 17h30, não havia sido atendida.

“Londrina inteira é testemunha do que está acontecendo na saúde. Por que existe tanta omissão? Por que as autoridades não tomam providências? Por que a população não reage?”, reclamou. A sala de espera do PAM estava lotada na tarde desta terça-feira e muitas pessoas reclamavam da demora. Uma menina de 13 anos chegou ao local com suspeita de dengue e foi medicada por uma enfermeira, sem passar por um médico.



Comentários

As mais visitadas

Jovem morre ao ser atingido por raio

Estudante é levado à delegacia por ato obsceno dentro de biblioteca de universidade, em Maringá

CRM-PR retira indicativo de interdição ética da UPA de Sarandi