MP investiga suspeita de que Alep teve quase mil fantasmas

Quase mil funcionários e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) estão sendo investigados pelo Ministério Público Estadual (MP) por suspeita de terem recebido salário sem dar expediente na sede do Legislativo, no período entre 2003 e 2010. São cerca de 130 inquéritos que apuram a situação de possíveis servidores fantasmas dentro da Assembleia. Atualmente, a Casa tem 1.558 funcionários, entre servidores efetivos e comissionados (de livre nomeação).

Funcionários de pelo menos seis deputados estaduais estão no alvo da investigação – dentre eles, servidores do gabinete do atual presidente da Assembleia, o deputado Valdir Rossoni (PSDB). Até o atual diretor-financeiro da Casa, Sérgio Brun, que já trabalhou no gabinete de Rossoni, está no rol dos investigados.

Comentários

As mais visitadas

Sorveteiro tenta abusar de criança e é preso

Menina de dois anos se afoga em piscina durante férias da família

Autarquia Águas de Sarandi orienta a população a fazer uso racional de água