Último combatente da Primeira Guerra Mundial morre aos 110 anos

Claude Stanley Choules, o último combatente da Primeira Guerra Mundial que ainda estava vivo, morreu na Austrália aos 110 anos, informou a rádio ABC nesta quinta-feira.

Britânico naturalizado australiano, Choules lutou quando ainda era um adolescente e faleceu na noite desta quarta-feira em um asilo da cidade de Perth, segundo informou sua família.

Nascido em 1901, com apenas 14 anos Choules foi incorporado à Marinha do Reino Unido, pouco depois de o país declarar guerra à Alemanha, e a bordo do destróier "HMS Revenge" foi testemunha da rendição da frota alemã em 1918.

Depois da guerra, Choules foi morar na Austrália, servindo nas Forças Armadas do país durante mais de quatro décadas. Em 2009, o ex-combatente publicou suas memórias, sob o título "O último dos últimos".

Após a morte de Choules quase um século depois do fim da Primeira Guerra, já não há mais combatentes vivos, mas sim uma mulher, a britânica Florence Green, à época do conflito garçonete em uma base da Força Aérea do Reino Unido.

Comentários

As mais visitadas

Petrobras anuncia novo reajuste na gasolina; preço sobe 7%