90% dos juízes do Trabalho devem cruzar os braços no Paraná nesta quarta


Cerca de 90% dos 197 juízes da Justiça do Trabalho do Paraná vão paralisar as atividades nesta quarta-feira (30) como parte de uma mobilização nacional prevista em várias cidades do Brasil. Entre as reivindicações estão questões relacionadas à segurança e saúde, além de reajuste salarial.

No país cerca de três mil juízes trabalhistas devem cruzar os braços fazendo com que 20 mil audiências sejam suspensas. No Paraná, a Associação dos Magistrados do Trabalho da 9ª Região (Amatra9) informou que as audiências previstas para esta quarta-feira no estado serão remarcadas e o plantão para atendimento em casos de urgência será mantido. Dos 197 juízes trabalhistas do estado, 177 (90%) devem aderir ao movimento, segundo a Amatra.

Os magistrados cobram uma política institucional que garanta a segurança para o exercício de suas funções. Eles reclamam que muitas vezes recebem ameaças, são submetidos ao estresse de cumprir o dever constitucional mesmo colocando em risco a segurança própria e da sua família.

Outra reivindicação está relacionada ao sistema de saúde da classe, que, segundo eles, não previne os agravos à saúde física e mental nem prevê proteção previdenciária adequada. Os juízes reclamam ainda de perdas inflacionárias de 22% entre janeiro de 2006, quando foi definido o teto remuneratório máximo do serviço público, e agosto de 2011.

Essa alteração reduz o poder de compra dos membros do Judiciário e estaria em desacordo com a Constituição Federal que garante revisão anual dos vencimentos e a irredutibilidade salarial aos juízes.

Comentários

As mais visitadas

CCJ aprova PEC que exige nível superior para cargos públicos de confiança

Motoristas de carros com câmbio automático podem ganhar CNH específica

Membros do 1º Conselho Municipal da Cultura tomam posse