Câmara rejeita CP da Saúde e confirma aumento de salários


A Câmara de Vereadores de Londrina arquivou o pedido de abertura de Comissão Processante (CP) contra o prefeito Barbosa Neto (PDT) por conta de irregularidades na área da Saúde apontadas pelo Ministério Público (MP) estadual, através da Operação Antissepsia, deflagrada em maio, e por uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) aberta pelo próprio Legislativo. Eram necessários 13 votos para abrir a CP, mas os vereadores da oposição só conseguiram 11.

O pedido de abertura de CP foi protocolado em junho deste ano pelo vereador Joel Garcia (PP), mas, como existia uma CEI que estava investigando o mesmo caso, o assunto só foi votado na sessão de ontem, a última do ano. Garcia pediu a investigação para apurar a responsabilidade do prefeito nas irregularidades apontadas nos contratos feitos entre o município e os institutos Gálatas e Atlântico. O relatório da CEI da Saúde, presidida pela vereadora Lenir de Assis (PT), também indicou a abertura de uma CP. Segundo a CEI, o prefeito foi responsável pelas irregularidades pela falta de fiscalização.

Antes mesmo da sessão de ontem ser iniciada oficialmente, as galerias do plenário estavam lotadas. Cerca de 300 pessoas acompanharam a votação, a maioria para apoiar o prefeito. O advogado do prefeito, João Gomes Filho, também estava presente, assim como secretários municipais e assessores da prefeitura. Lideranças comunitárias levaram a maioria das pessoas em ônibus.

Comentários

As mais visitadas

Jovem morre ao ser atingido por raio

Estudante é levado à delegacia por ato obsceno dentro de biblioteca de universidade, em Maringá

CRM-PR retira indicativo de interdição ética da UPA de Sarandi