sexta-feira, 22 de julho de 2011

Sarandi inaugura Clinica Materno Infantil

A Clinica Materno Infantil, Donizete Hernandes foi inaugurada nesta sexta-feira (22). O investimento foi de R$386 mil sendo R$ 350 mil em recursos do governo federal e a contra partida do município foi de R$ 36 mil. A clínica ganhou mais 147 metros quadrados.

Estiveram presente na solenidade, prefeito Carlos de Paula, vereadores, secretários e diretores da prefeitura de Sarandi, Hamilton Cardoso, representante da Deputada Federal Cida Borghetti, Antonio Mavetti, representante do deputado estadual Dr. Batista, diretor da 15º Regional de Saúde de Maringá Kazumichi Koga, padre Luiz Azevedo, Capitão Mazetto, Orfeu Casa Grande, presidente da Associação Comercial de Sarandi, Edgar Silvestre, prefeito de Marialva.

Em agradecimento aos serviços prestados para a comunidade sarandiense o prefeito Carlos de Paula homenageou o medico Dr. Donizete Hernandes. Para receber a homenagem esteve presente a esposa Hélida Pelegrine e filhos, que agradeceu emocionada.


A responsável pela Clinica Adriana de Santana falou da importância desta inauguração para a cidade. “Nós não acreditávamos que em tão pouco tempo fosse possível fazer uma obra como esta, mas o prefeito De Paula conseguiu. 

É qualidade de vida para as nossas mães e crianças. Nosso prefeito pensa na prevenção da saúde, promovendo o desfavelamento, o tratamento da água, coleta seletiva de lixo, asfalto, esgoto, tudo isto se reverte em saúde para toda a família. 

Aqui vamos poder realizar os exames preventivos, teremos vacinação, pediatria, psicólogo, enfermeiros, ginecologista e tudo isto em uma estrutura melhorada e digna” disse Adriana.

Para o prefeito de Marialva, Edgar Silvestre, o Deca Sarandi esta crescendo a olhos vistos. ”Estou muito orgulhoso em fazer parte de mais este evento aqui. Estou aqui também para parabenizar a cidade pela escolha do nome do Dr. Donizete, que era cidadão marialvense, foi uma grande pessoa que merece ser perpetuado aqui, para que possa se tornar exemplo para os funcionários que vão trabalhar na clinica. Que eles possam assim como o amigo Donizete tratar as pessoas com o mesmo amor que ele sempre tratou. Parabenizo o povo de Sarandi”.



O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva interpretou, nesta quinta-feira, uma famosa passagem bíblica. Em Salvador, ele disse que é “bobagem” o que o Novo Testamento apregoa sobre a promessa de que o reino dos céus é para os pobres. Ele discursou de manhã para uma plateia formada em sua maioria por pequenos agricultores. À noite, Lula deve desembarcar em Pernambuco.
- Bobagem, essa coisa que inventaram que os pobres vão ganhar o reino dos céus. Nós queremos o reino agora, aqui na Terra. Para nós inventaram um slogan que tudo tá no futuro. É mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico ir para o céu . O rico já está no céu, aqui. Porque um cara que levanta de manhã todo o dia, come do bom e do melhor, viaja para onde quer, janta do bom e do melhor, passeia, esse já está no céu. Agora o coitado que levanta de manhã, de sol a sol, no cabo de uma enxada, não tem uma maquininha para trabalhar, tem que cavar cada covinha, colocar lá e pisar com pé, depois não tem água para irrigar, quando ele colhe não tem preço. Esse vai pro inferno – discursou, para delírio das cerca de mil pessoas que lotavam o auditório de um hotel de Salvador, onde foi realizado o lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar da Bahia 2011/2012.
Pouco antes de falar, recebeu de presente uma garrafa de cachaça e outros produtos de cooperativas. Como se ainda estivesse ocupando a cadeira de presidente da República, Lula fez um balanço de suas realizações na área da agricultura familiar e recomendou que sua sucessora Dilma Rousseff prossiga com “a política de distribuição de renda no campo”.
O ponto alto do seu discurso de 15 minutos – que seria apenas uma rápida saudação – foi quando resolveu criticar indiretamente o versículo 25, capítulo 18, do Evangelho de São Lucas, a parábola que Jesus fez sobre as dificuldades do rico alcançar o céu e a facilidade do pobre chegar lá (“Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus”). Ele insistiu:
- Queremos que todo mundo vá pro céu, agora. Queremos ir pro céu vivo. Não venha pedir para a gente morrer para ir pro céu que a gente quer ficar aqui mesmo – disse.