quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Secretario de Segurança garante melhorias para Sarandi

O Prefeito de Sarandi Carlos Alberto de Paula Junior esteve reunido nesta quarta-feira (17) com o Secretario da Segurança Pública Reinaldo de Almeida César, em Curitiba. De Paula foi acompanhado pelo Deputado Estadual Dr. Batista, e pelo chefe de gabinete Luiz Aguiar. De Paula foi cobrar mais segurança para a cidade.

Segundo De Paula, o Secretário garantiu que a cidade vai ser contemplada com mais agentes. “Ele assumiu um compromisso com a cidade de Sarandi, garantiu que em aproximadamente 90 dias vai aumentar o número de agentes e vai também estudar a liberação de mais uma delegacia para o nosso município. Nós saímos daqui convencidos de que finalmente vamos ser atendidos. O secretario entendeu que nós estamos vivendo um momento muito critico na segurança de nossos moradores, e vai se empenhar para nos ajudar”, disse o prefeito.
Americana come 22 mil calorias por dia para se tornar a mais gorda do mundo


Susanne Eman, uma Americana de 32 anos do Arizona nos EUA tem uma meta: se tornar a mulher mais gorda do mundo. Para isso, ela que hoje pesa 330 kg quer chegar aos 730 kg comendo mais de 20 mil calorias por dia. As informações são do tabloide Daily Mail.

'Eu adoraria descobrir se é humanamente possível para chegar a uma tonelada”, disse ao jornal. “A recordista anterior tinha 730 kg, então eu tenho que pesar pelo menos isso”.

"Minha próxima meta é chegar a 362 kg até o final do ano. No meu ritmo atual de crescimento, devo chegar aos 730 kg aos 41 ou 42 anos”, diz.

Mais Sexy

Susanne diz que quanto maior ela fica, melhor ela se sente. "Eu me sinto mais confiante e sexy. Por que não ir até o limite e ver quão gorda eu consigo ficar e ainda ser saudável?", questiona. Segundo ela, conforme foi engordando ela começou a atrair mais homens, "e isso fez eu me sentir bem", conta.

Sua missão começou depois de perder a briga com a balança mais uma vez e não conseguir parar de engordar. "Há dois anos eu cheguei aos 222 kg"

Ela está atualmente desempregada (não consegue trabalhar por causa do peso) e passa oito horas, um dia por mês no supermercado para encher seis carrinhos, junto a seus filhos Grabriel, 16, e Brendin, 12.

De acordo com ela, seus sinais vitais, pressão arterial e níveis de açúcar no sangue são medidos periodicamente. "Ainda não estou próxima às zonas de perigo. Se eu estivesse pra ficar doente, teria arrumado para minha irmã cuidar dos meus filhos", diz.

Entretanto, o médico que trata a americana diz que ela está fazendo uma roleta-russa com sua vida. Ela diz que quer quebrar o estigma de que ser gordo é ruim.