terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Delegacia de Sarandi é interditada

A Vigilância Sanitária de Sarandi (na Região Metropolitana de Maringá) interditou, nesta terça-feira (10), a Delegacia de Sarandi por falta de estrutura e superlotação. Após uma visita da vigilância ao local na manhã desta terça, a delegacia foi interditada por 90 dias. A situação do prédio é precária, segundo a vigilância.

“É muita aglomeração e isso é passível de doenças. Tem infiltrações no prédio, mofo nas paredes, falta de iluminação e muita falta de higiene. Chega ser desumano o que acontece lá”, disse o diretor da Vigilância Sanitária de Sarandi, Ricardo Paraná.

O risco de disseminação de doenças contagiosas é grande no local, segundo Paraná. Um caso de tuberculose foi confirmado na semana anterior e outros quatro em dezembro de 2011. A vigilância pede a transferência dos presos para outras regiões. "É preciso tirar boa parte daqueles presos do local e fazer ao menos uma limpeza para se ter condições básicas de higiene", disse o diretor da vigilância.
No total, a Delegacia de Sarandi conta com cerca de 200 detentos, em um espaço com capacidade para 50 presos. Para evitar a proliferação da bactéria que causa a doença, as visitas foram canceladas por tempo indefinido.

A reportagem da Gazeta Maringá está tentando contato com a Secretaria de Justiça do Paraná (Seju) para verificar a possibilidade de transferências de alguns presos para outras regiões. Até por volta das 16h30 desta terça, não foi possível o contato. A Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (Sesp) informou que a responsabilidade por transferências em delegacias é da Polícia Civil. A Polícia Civil alega que a responsabilidade é da Seju.

Nenhum comentário: