MP acusa funcionários do DER por irregularidades em Campo Mourão 

O Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Proteção ao Patrimônio de Campo Mourão, ingressou na sexta-feira (29), com ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra o gerente e o ex-tesoureiro do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de Campo Mourão. A investigação do Ministério Público apontou que o tesoureiro do DER, João Carlos Marques, por meio de um sistema interno de pagamento de diárias, emitiu diversas "solicitações frias" em nome de outros servidores da mesma unidade, desviando dos cofres públicos, no período de 18 meses, mais de 30 mil reais. O gerente do escritório, segundo a Promotoria, também responderá civilmente por omissão, uma vez que era responsável por todas as despesas e pela fiscalização dos serviços que deveriam ter sido efetuados pela Regional de Campo Mourão. Se condenados pela Justiça, os réus poderão, além de ressarcir o dano causado, pagar multa, perder seus cargos públicos e ter os direitos políticos cassados. Procurado pela reportagem, João Carlos Marques afirmou desconhecer a ação civil pública e que não teria nada a afirmar sobre o caso.

Comentários

As mais visitadas

Mulher é assassinada e tem galho introduzido nas partes íntimas

Feto é encontrado em estação de tratamento de esgoto

Sem cueca e usando saia, homem mostra pênis para adolescentes