segunda-feira, 23 de abril de 2012


Administração de Sarandi abre concurso com 142 vagas
A Prefeitura Municipal de Sarandi abriu concurso público para a contratação de 127 funcionários públicos para atuarem em diversos setores da administração. E mais 15 vagas para agente de trânsito e Guarda Municipal, são: 4 masculinas e 1 feminino. Para Guarda Municipal são: 8 masculinos e 2 femininos.
As inscrições podem ser feitas a partir do dia 26 de abril até o dia 10 de maio, pela internet no endereço da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual de Londrina. FAUEL. www.fauel.org.br. Também podem ser feitas na Agência do Trabalhador de Sarandi, na Rua Salvador Jordano nº 548 das 7h30m às 11h30m e das 13h às 17h em dias úteis.
Os dias e locais de Provas estarão disponíveis no endereço eletrônico da FAUEL depois que as inscrições forem homologadas. A Taxa de inscrição vária entre 45 a 80 reais dependendo do cargo.
As vagas são para Médicos nas especialidades de:
Dermatologista, Ginecologista, infectologista, ortopedista, pediatra, plantonista clinico geral, plantonista pediatra, psiquiatra, médico para o programa Saúde da Família, nutricionista, médico auditor, clinico geral.
Enfermeiro Padrão, farmacêutico, auxiliar de farmácia, odontólogo, técnico em enfermagem, técnico em enfermagem para o Samu, técnico em higiene dentária, técnico em vigilância sanitária.
Motorista carteira D, motorista socorrista para o Samu.
Auxiliar Administrativo, auxiliar de cuidados dentários.
Agentes:
De combate a endemias, comunitário de saúde para o Parque Alvamar, comunitário para a Clinica Materno Infantil, comunitário de saúde para o Jardim Verão, comunitário de saúde para o Jardim Bella Vista, comunitário de saúde para o Jardim Universal.
Também haverá concurso para cadastro de reserva que não possuem vagas imediatas, para:
Agente comunitário de saúde para o Jardim Independência, atendente de consultório dentário, fisioterapeuta, médico cardiologista e telefonista.
Com informações: Assessoria de Comunicação de Sarandi
Comissão de juristas aprova criminalização do enriquecimento ilícito 


A comissão de juristas que prepara anteprojeto da reforma do Código Penal no Senado aprovou nesta segunda-feira (23) a criminalização do enriquecimento ilícito. Significa que devem responder na Justiça os servidores, juízes ou políticos, por exemplo, que não puderem comprovar a origem de valores ou bens, sejam eles móveis ou imóveis. A previsão de pena varia de 1 a 5 anos; além disso, o bem deverá ser confiscado. Para o relator da reforma, Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, trata-se de 'um momento histórico na luta contra a corrupção no Brasil'. "Criminalizamos a conduta do funcionário público que enriquece sem que saiba como. Aquele que entra pobre e sai rico", afirmou. 


Segundo Gonçalves, não há qualquer previsão desta natureza hoje no Código. "O país está descumprindo tratados internacionais contra corrupção, que determinam a criminalização. Estamos levando essa proposta para o Senado e os representantes do povo vão discuti-la", completou. O texto prevê ainda que a punição seja aumentada em metade ou dois terços caso a propriedade ou posse seja atribuída a terceiros. 

Caso se prove também o crime que deu origem ao enriquecimento, como corrupção ou sonegação, por exemplo, o réu deixa de responder por enriquecimento ilícito e passa a responder pelo outro crime, que, em geral, tem a pena mais alta. A mudança do anteprojeto de reforma do Código Penal deve ser entregue até o fim de maio para votação do Senado. Em seguida, as modificações serão apreciadas pela Câmara dos Deputados.Fonte: Folha.com

'Deus é gay' e outras frases foram pichadas em igreja




Três frases escritas de vermelho na parede da Matriz da Igreja Católica chamaram a atenção da população de Santa Helena, cidade localizada na região Oeste do Paraná e que tem pouco mais de 23 mil habitantes: “Deus é gay”, “Pequenas Igrejas, Grandes Negócios” e “fuck the religions”. As pichações foram feitas na porta de entrada, o local onde centenas de católicos do município celebram e fazem suas orações. Os vândalos também fizeram o símbolo da cruz de ponta cabeça, e um símbolo do anarquismo.
A ação dos vândalos ocorreu na noite da última quinta-feira (19). Com a ajuda da população, a Polícia Militar local agiu rápido e prendeu os três suspeitos de terem praticado o ato de vandalismo.
Segundo o Portal Correio do Lago, "L.A.S., 19 anos, foi o primeiro detido e depois foram detidos M.J.O. e E.R.S. Segundo informou o sargento Botini, comandante local da PM, no depoimento eles alegaram consumo de bebida alcoólica, influência disso e insatisfação com a vida para praticar o ato de blasfêmia contra a igreja", publicou o site. Os três foram ouvidos e liberados, pois responderão a acusação em liberdade.
A Paróquia Santo Antônio se manifestou através de uma carta pública.
Leia a carta pública na íntegra.
“Ame o Senhor, seu Deus, com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua força e com toda a sua mente; e ao seu próximo como a si mesmo”. (Lc 10,27)

A legislação brasileira dá o direito de expressão a todos os cidadãos, mas também exige respeito pelo patrimônio alheio, inclusive criminalizando atos de vandalismo e pichação.

Nesta manhã de sexta-feira os católicos de Santa Helena e porque não dizer, todas as pessoas de boa vontade, ao passarem pela Igreja Matriz Santo Antonio manifestam profunda indignação, reprovação e sentem-se ofendidos pelos atos de vandalismo que aconteceram ao longo desta noite de quinta para sexta, quando alguns elementos picharam a parede lateral da Igreja com ofensas à religião e a Deus.

Esses atos são considerados uma blasfêmia (do dicionário):

1. Ultraje a algo  considerado sagrado, a uma divindade ou religião; 
2. Palavras ofensivas e insultantes contra uma pessoa ou um objeto dignos de respeito).

Portanto, como Igreja Católica afirmamos:

1. A atitude dessas pessoas foi uma blasfêmia contra Deus, o criador de todas as coisas, e contra os católicos que usam este templo sagrado para as celebrações sagradas da comunidade e para seu encontro pessoal com Deus;

2. Como crime previsto na legislação, exigimos que as autoridades competentes investiguem o caso e dêem respostas a toda comunidade santa-helenense;

3. Esses fatos, como vários outros que tem sido corriqueiros em nossa cidade, são as consequências de uma sociedade que deixou os valores fundamentais de lado: valores da vida, do respeito ao próximo, da família, do amor a Deus;

4. Quando o ser humano é desumanizado naquilo que lhe é mais precioso – “ser imagem e semelhança de Deus” (Gn 1,26) qualquer ideologia: do poder, do dinheiro, da vaidade, do anárquico se avultam;

5.Por isso é urgente que a sociedade, a igreja, as famílias, os responsáveis pelos poderes públicos, os educadores de nossas instituições assumam esse papel de formadores da vida e das pessoas no cuidado dos valores que são fundamentais a todos: a vida, o ser humano em todas as suas dimensões, a liberdade religiosa e o respeito às manifestações de fé.