filho alcoólatra é condenado a deixar a casa dos pais após agressões

A Justiça de Minas Gerais determinou que um homem se afaste em definitivo da casa dos pais idosos, vítimas de agressões físicas e verbais constantes por parte do filho. A decisão do juiz Bruno Terra Dias, da 22ª Vara Cível de Belo Horizonte, foi proferida na última sexta-feira e divulgada hoje pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ-MG). Segundo o TJ-MG, o réu seria alcoólatra. A denúncia partiu do Ministério Público estadual, que relatou que E.R.S. cometia agressões "de toda ordem" contra o casal de idosos. Em maio de 2012, o juiz Adair Sebastião Alves, que na época era o titular da 22ª Vara Cível, já havia determinado a tutela antecipada para afastamento inicial do filho. Porém, o juiz impôs que o MP indicasse instituições em que o réu pudesse se internar para tratamento contra o alcoolismo, caso concordasse. O réu foi citado, mas não se defendeu e se recusou a fazer o tratamento, segundo relatório do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Ainda de acordo com o relatório, mesmo após o afastamento inicial, permanecia a situação de risco em relação aos pais do réu. Por não ter apresentado defesa, o réu foi condenado à revelia. Segundo o juiz, a documentação presente no processo foi suficiente para tomar a decisão. "As agressões reiteradas, graves e de longa data, do réu aos idosos são de molde a permitir o deferimento da medida protetiva invocada", argumentou. A decisão é de primeira instância e está sujeita a recurso judicial.

Comentários

As mais visitadas

CCJ aprova PEC que exige nível superior para cargos públicos de confiança

Motoristas de carros com câmbio automático podem ganhar CNH específica

Membros do 1º Conselho Municipal da Cultura tomam posse