Nelson Padovani participa de reunião com ministros para discutir uso de defensivos agrícolas






Relator do endividamento rural na Câmara, o deputado federal Nelson Padovani (PSC-PR) e vários outros parlamentares da Frente Agropecuária (FPA) se reuniram no final da tarde dessa quarta-feira (4) com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e o ministro da Agricultura, Antonio Andrade, para cobrar uma solução urgente sobre o uso de defensivos agrícolas (agrotóxicos) no Brasil. A FPA quer que o governo publique um decreto liberando, em caráter emergencial, o uso de defensivos para o controle de pragas e doenças, especialmente da lagarta helicoverpa, que vem devastando lavouras de algodão no Oeste da Bahia, onde os prejuízos já ultrapassam R$ 1,5 bilhão.

De acordo com Padovani, os agricultores precisam de uma resposta rápida do governo, para evitar que os prejuízos aumentem ainda mais e atinjam outras culturas, como milho e soja. Ele lembra que o drama dos agricultores baianos é motivo de preocupação, uma vez que o uso do defensivo benzoato de emamectina – para controlar a lagarta helicoverpa armigera, que atacam principalmente as lavouras de algodão – foi proibido pelo Ministério Público.

“Nossa conversa com os dois ministros foi no sentido de sensibilizá-los para mais esta ameaça à produção agrícola. É uma situação lamentável, que não deveria estar ocorrendo. Não há um consenso entre as autoridades sobre o uso desse defensivo, e o produtor fica no meio do fogo cruzado, levando prejuízo, e quem perde com isso é o País”, frisou Padovani.

Além dos dois ministros, também participaram da reunião os presidentes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Maurício Lopes, e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), Volney Zanardi Junior, os secretários de Política Agrícola, Neri Geller, e de Defesa Agropecuária, Rodrigo Figueiredo, e representantes de associações de produtores e entidades diversas.

A informação do Departamento de Sanidade Vegetal do Ministério da Agricultura é de que o decreto emergencial para aplicação do benzoato de emamectina para controlar a helicoverpa armigera já estaria pronto, aguardando apenas a assinatura da presidente Dilma Rousseff. Ao final do encontro, a ministra Gleisi Hoffmann pediu um prazo de cinco dias para decidir sobre o assunto.

Claudivan Santiago – Assessor de Imprensa



Comentários

As mais visitadas

GM e PM de Sarandi são ouro e prata no de Jiu-Jitsu em Curitiba