Postagens

Mostrando postagens de Março 12, 2013

Após assassinato, homem corta e “frita” mão de vítima

Um homem foi encontrado morto, com o corpo mutilado, na manhã de segunda-feira, na casa em que residia no município de Timbé do Sul, Santa Catarina. De acordo com a Polícia Civil de Timbó, que cuida do caso, Lindomar de Barros, 44 anos, teve a mão direita decepada com um facão. O membro foi encontrado “levemente frito” em uma frigideira, afirma o delegado André Coltro. Segundo o delegado, a mão foi cortada após a morte do homem, que aconteceu no sábado, por volta das 12h. A vítima teve ainda o órgão genital arrancado. Em uma parede, uma mensagem escrita com o sangue da vítima dizia: “nunca mexa com a minha filha”. Também foram encontradas quatro facas e três chaves de fendas estocadas no corpo, que tinha diversas perfurações. Um corte profundo na garganta, feito com o machado, é a provável causa da morte. Coltro acredita que os demais golpes e mutilações tenham ocorrido após a morte de Lindomar. O corpo foi encontrado pelo patrão da vítima, que estranhou o sumiço do funcionário na…

Prefeito de Palhoça (SC) leva servidoras para boate com gogo boy; MP vai investigar o caso

Imagem
O Ministério Público de Santa Catarina informou que vai investigar a polêmica festa promovida pela prefeitura da cidade de Palhoça, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. As servidoras foram levadas a uma boate e um gogo boy foi contratado. Ele se apresentou com uma sunga transparente e as fotos acabaram circulando em páginas de redes sociais. O MP informou que não recebeu denúncias sobre o caso, mas vai abrir um inquérito. O prefeito interino de Palhoça, Nirdo Artur Luz Pitanta, disse que o rapaz fez um striper e não é gogo boy. Ele disse ainda que o jovem é um modelo fotográfico e, inclusive, toda a família dele estava presente. A prefeitura teria custeado o espaço, a comida e bebida, mas o modelo foi pago por um dos patrocinadores da festa.


Vergonha:Professor mata a mulher e ganha pensão por morte em São Paulo

Com riqueza de detalhes, o professor de matemática Claudemir Nogueira mostrou à polícia em 2010 como enforcou a mulher com um fio, dentro de casa, em bairro de classe média na zona sul de São Paulo, um ano antes.À Justiça, manteve o relato. Também admitiu o crime a peritos do governo estadual. Apesar das confissões a diferentes braços do poder público, Nogueira, 48, recebe mensalmente pensão do INSS pela morte da mulher, que ele assassinou. Só em 2010, foram R$ 19 mil, segundo documentos obtidos pela Folha. Nogueira também continua recebendo os vencimentos por ser professor da rede estadual, no valor de R$ 2.509 ao mês. Atualmente, ele trabalha em atividades burocráticas da pasta, após ter sido afastado das salas de aula. "Você consegue imaginar a nossa revolta?", afirmou Samiha Tauil, tia da vítima, a fisioterapeuta do Sesi Mônica El Khouri, que tinha 37 anos quando foi assassinada. "Ele matou a Mônica, confessou em várias instâncias e está nessa situação confortá…