segunda-feira, 29 de abril de 2013

ESTÃO DETONANDO NOSSAS CRIANÇAS E ZOMBANDO DOS CRISTÃOS NO BRASIL


Vídeo – “Estão detonando nossas crianças e zombando dos cristãos no Brasil”, diz pastora Damares Alves; Assista


Um vídeo de uma palestra da pastora Damares Alves, advogada, assessora jurídica da Frente Parlamentar Evangélica e professora, está sendo compartilhado através das redes sociais como um alerta sobre os rumos políticos do Brasil e o papel da igreja contemporânea. A palestra, realizada na Primeira Igreja Batista de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, fala sobre os rumos dados pelo governo federal à educação infantil na área sexual e sobre uso de entorpecentes, além do projeto de aprovação do aborto. Damares faz uma crítica à postura adotada pela maioria dos líderes evangélicos, dizendo que por se manter no conforto dos templos, a igreja se tornou alienada dos rumos que a sociedade está tomando. “Deus está chamando a igreja evangélica brasileira para um novo momento, um novo instante, e grandes desafios nos esperam [...] Os desafios são de salvar essa nação do que está acontecendo”, alertou a pastora, que complementou: “Estão detonando as nossas crianças”. Falando sobre pornografia e homossexualidade, Damares Alves disse que o Ministério da Educação tem divulgado nos últimos anos, materiais que fazem apologia à pornografia, à prática sexual e homossexual, e apresentou exemplares de cartilhas que são apresentadas às crianças. “Aí vem o governo brasileiro com verba pública, do seu bolso, e faz um material desses distribui um material desses nas escolas públicas. E o que a gente faz? Nada. Sabe por quê? Porque estamos ocupados. A Igreja está muito ocupada. Estamos ocupados em ganhar dinheiro, ocupados com as nossas profissões, e não estamos antenados com o que está acontecendo. Mas Deus está dizendo à igreja evangélica brasileira: abre o olho [...] É hora de a gente se levantar como igreja”, disse, em tom de convocação.

FELICIANO ME REPRESENTA GRITAM FIÉIS EM ENCONTRO RELIGIOSO




Ovacionado por uma multidão que expressou seu apoio com a frase “Me representa, Feliciano”, o pastor e deputado federal presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) pregou no último domingo, 28 de abril, no Congresso de Missões dos Gideões, em Camboriú, Santa Catarina, e falou sobre as polêmicas em que foi envolvido nos últimos meses. Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou que na história da igreja evangélica no Brasil, “nunca houve tanta oração comungada. Nunca tantos crentes oraram por uma só pessoa como aconteceu nesses dias”, e que por isso, encontrou forças para resistir às pressões: “Uma revista de grande circulação me colocou na capa como o homem que afrontou o Brasil, e embaixo [a pergunta] ‘Por quê é que ele não cai?’. Eu não caio e a resposta está aqui. Não caio graças à oração de vocês”, disse antes de levar o público de mais de 5 mil pessoas à êxtase: “Sai da frente satanás. Estamos em guerra”. Feliciano voltou a reafirmar que não pretende sair da CDHM e frisou que as polêmicas envolvendo seu nome estão sendo repercutidas à exaustão: “Nunca uma notícia durou tanto tempo. A mídia secular que domina o Brasil tenta me destruir, usando depoimentos meus feitos há 14 anos”, observou. “A verdade deve ser dita. Podem cassar um deputado, mas não um pastor. Mesmo que levem ele para a cadeia, ele pregará lá dentro”, disse.