segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Sinalização horizontal de Sarandi está sendo revitalizada



Toda a sinalização de trânsito de Sarandi está sendo revitalizada, a Secretaria Municipal de Trânsito e Segurança Pública, (TRANSEG) está refazendo a sinalização horizontal de 3,5 km da Avenida Maringá, que se iniciou no cruzamento com a Avenida Antonio Volpato e irá até o cruzamento com a Avenida Amazonas, no Jardim Nova Aliança. Segundo o Secretario de Trânsito e Segurança Pública, Aparecido Antonio, está revitalização vai ser feita em toda a cidade. “Depois que terminarmos aqui na Avenida Maringá, vamos para as escolas, depois postos de saúde enfim todas as ruas vão ter a sinalização refeita. Não podemos apenas cobrar dos motoristas que respeitem é preciso que nós façamos a nossa parte, e isto nós vamos fazer,” afirmou o secretario. 

Com informações: Assessoria de Comunicação de Sarandi

Australiana ressuscita depois de passar 42 minutos clinicamente morta

Uma australiana retornou à vida depois de passar 42 minutos clinicamente morta, informaram os médicos que trabalharam no caso. Vanessa Tanasio, 41 anos, que tem dois filhos, foi levada para o Centro Médico Monash de Melbourne na semana passada, depois de sofrer um ataque cardíaco e com uma das artérias completamente bloqueadas. Tanasio sofreu uma parada cardíaca e foi declarada clinicamente morta pouco depois. A expressão clinicamente morto é um termo médico que se aplica a uma pessoa que deixou de respirar e na qual o sangue parou de circular. Mas os médicos não desistiram e usaram um dispositivo de compressão chamado Lucas 2, o único deste tipo que existe na Austrália, para manter o fluxo de sangue até o cérebro, enquanto o cardiologista Wally Ahmar abriu a artéria para desbloqueá-la. Uma vez desbloqueada, o coração de Tanasio voltou a bater em ritmo normal. "Utilizei múltiplas descargas, muitos medicamentos para ressuscitá-la", disse Ahmar. "Certamente isto é um milagre. Não esperava que ela estivesse tão bem". Tanasio afirmou que não tinha antecedentes de doenças cardíacas e declarou estar muito agradecida. "Recordo de estar no meu sofá, depois no chão, depois chegando ao hospital e depois dois dias desapareceram", contou Vanessa Tanasio. "Estive morta por quase uma hora e apenas uma semana depois me sinto bem. É surreal", completa. O dispositivo Lucas comprime o peito, de maneira similar ao que acontece durante a manobra de reanimação cardiopulmonar (CPR), e permite aos médicos trabalhar sem parar para implantar um stent (dispositivo cilíndrico) em uma artéria bloqueada. Esta foi a primeira vez que o dispositivo foi utilizado com êxito em um paciente, segundo o hospital.

Ao menos 700 políticos ganharam mais do que deveriam em 2012 no Paraná, diz Tribunal de Contas

Levantamento realizado pelo TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado do Paraná) mostrou que 783 políticos - prefeitos, vice-prefeitos e vereadores - de 163 municípios do Estado receberam mais do que deveriam em 2012. Segundo o TCE-PR, em alguns casos, a diferença entre o devido e o que foi pago chega a 100%. Todos foram notificados e devem prestar esclarecimentos. Entre os 105 prefeitos que receberam mais do que deveriam está o ex de Curitiba Luciano Ducci (PSB), que, conforme os dados do TCE-PR, recebeu em média R$ 27.270,80 mensais. Isso representa em 2012, segundo o órgão, R$ 6.500 além do previsto por lei. A assessoria de Ducci informou que ele ainda não foi notificado pelo TCE-PR. Afirmou que no período em que exerceu o cargo, o ex-prefeito devolveu 30% dos vencimentos mensais aos cofres públicos e que possui todos os comprovantes das devoluções, que devem ser apresentados ao órgão. Diferença de 100% Um dos com maior diferença de salário é Olivio Brandelero (PMDB), ex-prefeito de Santa Izabel do Oeste (537 km de Curitiba). Segundo o TCE-PR, Brandelero recebeu R$ 219.300,96 em 2012, quando deveria ter ganhado R$ 109.650,48, uma diferença de 100%. Em nota, o ex-prefeito informou que já enviou ao TCE-PR os dados referentes ao seu salário, comprovando que não recebeu valores em duplicidade, como sugeriu o levantamento. Segundo ele, um erro na transmissão de informações das contas de sua administração pode ter gerado o equívoco. Segundo o TCE-PR, todos os políticos que tiveram ganhos irregulares terão de pagar multa de R$ 1.383,23, podendo variar de 10% a 30% sobre o valor da diferença, e também deverão devolver os valores a mais aos cofres públicos. A falta de pagamento provoca a irregularidade da prestação de contas e a inclusão do nome dos políticos na lista de inelegíveis, com base na Lei da Ficha Limpa.

Aposta de Maringá leva sozinha prêmio de R$ 1,2 milhão

Uma aposta realizada em uma lotérica de Maringá foi a única vencedora do prêmio da Quina no domingo (18). O dono ou dona do bilhete ganhou R$ 1,2 milhão. As informações foram divulgadas pela Caixa Econômica Federal (CEF). Os números sorteados foram: 16, 49, 52, 76 e 80. Outros 85 apostadores acertaram a Quadra e devem receber o prêmio de R$ 5,5 mil. Mais de 5 mil pessoas acertaram o chamado Terno e receberão pouco mais de R$ 116.

Casal de servidores municipais é preso acusado de desviar R$ 60 mil

Um casal de funcionários da Prefeitura de Bom Sucesso, no Norte do Paraná, foi preso preventivamente no sábado (17), acusado de desviar mais de R$ 60 mil de recursos públicos para pagar empréstimos pessoais. De acordo com a Promotoria de Justiça de Jandaia do Sul, o crime aconteceu há, pelo menos, sete anos. A acusada atuava como diretora de Recursos Humanos (RH) e o marido era funcionário do setor de compras do município. A promotora Fernanda Lacerda Trevizan Silvério informou, por meio da assessoria de imprensa, que as investigações começaram em abril deste ano após uma denúncia anônima. No mesmo mês, a Justiça realizou a apreensão de documentos, computadores e pendrives utilizados pelos acusados. Os materiais foram analisados pela auditoria do Ministério Público (MP). As investigações revelaram que os servidores realizavam empréstimos consignados em bancos autorizados pela Prefeitura, mas o pagamento não era descontado dos holerites deles. Segundo a Justiça, como a acusada era a responsável pela ordem de pagamento de todos os funcionários da Prefeitura, ela teria criado um esquema para que o pagamento dos empréstimos fosse descontado nas contas gerais do município. Além de alterar a origem do pagamento, a diretora do RH falsificou holerites dela e do marido para apresentar aos bancos uma declaração de salário com valor maior do que recebiam efetivamente. Com isso, eles obtinham empréstimos cada vez maiores, de acordo com o MP. A informação é de que os desvios começaram na gestão do ex-prefeito José Edilson Vanzella (PSDB), em 2006, e continuaram na gestão de Maurício Aparecido de Castro (PSB), que assumiu neste ano. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Bom Sucesso informou que o município não vai se manifestar sobre o caso e que aguarda a conclusão das investigações. A mulher está presa na Cadeia Pública de Apucarana e o marido, na Delegacia de Polícia Civil de Jandaia do Sul. Até o início da manhã desta segunda-feira (19), os acusados não haviam apresentado advogados de defesa, segundo a Promotoria de Jandaia do Sul.