segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Blog da Dilma ataca Joaquim Barbosa e associa imagem do presidente do Supremo à de um macaco






Leitores enviaram o link. Custei a acreditar. Mesmo tendo acessado a página, pensei em alguma forma de molecagem, feita à revelia dos organizadores do blog. Mas quê! Era tudo verdade. Um troço chamado “Blog da Dilma”, que se intitula “O maior portal da Dilma Rousseff na Internet”, tinha feito mesmo o que se vê abaixo: uma montagem em que a imagem do presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, aparece associada à de um macaco. Vejam imagem da página, com a respectiva URL. Volto em seguida.O texto reproduz, com todas as crases, um post do site petista “247”, que traz uma opinião — positiva, é claro! — de Luiz Eduardo Greenhalgh sobre o voto de Celso de Mello. O “Blog da Dilma”, no entanto, não se contentou com a simples reprodução porque, sei lá, talvez tenha achado que ainda era pouco, que faltava picardia à coisa. E teve, então, uma ideia: por que não compor a imagem de Joaquim Barbosa com a de um chimpanzé?
Os limpinhos e os sujos
É impressionante o que se verificou neste fim de semana. A Folha traz uma entrevista do dito “direitista” Ives Gandra (ainda volto a ele) assegurando que não há provas contra José Dirceu. No Estadão, o mensaleiro condenado João Paulo Cunha afirma que Barbosa fala “bobagem” e que quer sentar em sua cadeira; na TV Folha, o advogado de Dirceu diz o que pensa do julgamento (adivinhem o quê…); na Folha Online, outro professor da USP faz considerações que tentam minimizar a importância do julgamento, critica a transmissão ao vivo das sessões do Supremo e aproveita a oportunidade para atacar, claro!, Gilmar Mendes.
Não obstante, os petistas propagam aos quatro ventos que a “mídia” persegue o partido e seus líderes. Sabem que a acusação surte efeito. Parte considerável da imprensa tenta, então, provar aos críticos que eles estão errados; torna-se sua refém. Alguém da legenda grita: “Do mensalão mineiro, ninguém fala nada!!!”. Pronto! O assunto já entra na pauta. Até as autoridades se sentem compelidas a provar ao STPT — o Supremo Tribunal do Partido dos Trabalhadores — que são isentas. Rodrigo Janot, como vimos, em entrevista ao Estadão, afirmou que “pau que dá em Chico dá no Francisco”, antecipando, parece, o conteúdo do seu trabalho. Escrevi a respeito dessa declaração infeliz de Janot.
A esgotosfera
Observem que a onipresença dos defensores de mensaleiros na imprensa, neste fim de semana, é apenas a face mais “limpinha” do jogo pesado. A sujeira fica por conta de páginas como o tal “Blog da Dilma”, que foi criado durante a campanha eleitoral. O Planalto sempre pode alegar que não tem nada com isso, que o nome da presidente está sendo usado sem sua autorização etc. É mesmo? E por que, então, a soberana não manda que parem de fazer isso?
Eles não têm mesmo limites. O linchamento a que foram submetidas cinco atrizes — Carol Castro, Rosamaria Murtinho, Nathalia Timberg, Suzana Vieira e Bárbara Paz — porque ousaram posar de negro, como sinal de luto pelos seis votos do STF em favor dos infringentes, evidenciou quão organizada é a máquina. E olhem que a campanha eleitoral nem começou ainda.
Os sujos acusam a “mídia” — que eles dizem ser antipetista (este fim de semana demonstra que essa é outra mentira escandalosa; ao contrário, no geral, ela é favorável ao PT) — de destruir reputações ao apenas noticiar o que está em curso. O caso das atrizes e, agora, de Barbosa evidencia quem recorre a esse expediente. A verdade é que os criminosos decidiram disputar a opinião pública com os defensores da lei.
Racismo escancarado
Todos sabem que uma das expressões mais estúpidas do preconceito contra os negros é associá-los a macacos. Não há leitura alternativa para isso. Obviamente, não se trata de uma peça de humor. O cantor Alexandre Pires teveproblemas com o Ministério Púbico por causa de um videoclipe em que alguns dançarinos caracterizados de gorilas eram exibidos como símbolo de vigor sexual. Não entro no mérito estético da coisa, mas é evidente que não se procurava associar a cor da pele aos animais.
Mas e o que se vê acima? O que se pretende com aquela montagem? Ainda que seu autor fosse um petista negro, o caráter racista não se dissiparia porque é evidente que a montagem estaria a açular o racismo que anda por aí. Até agora, os movimentos negros, PARA NÃO VARIAR QUANDO SE TRATA DE MANIFESTAÇÃO PRECONCEITUOSA ORIUNDA DA ESQUERDA, não disseram uma palavra. O Planalto e Dilma também estão de bico fechado. A governanta, aliás, permite que seu nome seja usado nessa página para as piores barbaridades.
O pelotão de fuzilamento do petismo não perdoa a reputação de ninguém: tenta matar mesmo. E conta com uma rede gigantesca para isso, parte dela financiada por estatais e por gestões petistas municipais e estaduais. A Prefeitura de São Paulo, na gestão de Fernando Haddad, diga-se, tornou-se uma notória financiadora de blogs sujos a serviço de mensaleiros. Dá para entender por que tanta gente, de súbito, passou a questionar o crime de formação de quadrilha.
Por Reinaldo Azevedo

Maconha que viria para Sarandi é apreendida pela PRE



Mais de 50 quilos de maconha que viriam para Sarandi, foram apreendidas na manhã desta segunda-feira (23) na PR-323, em Cafezal do Sul (a 190 quilômetros de Maringá). Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), a droga estava no porta-malas de um Peugeot 206 (placas de Terra Boa) abordado por uma equipe que realizava uma fiscalização de rotina no Km 335 da rodovia por volta das 11 horas. À polícia, o condutor de 33 anos contou que pegou a droga em um posto de combustível na cidade de Guaíra e receberia R$ 2 mil para levar a mercadoria até Sarandi, cidade onde mora. O homem, que é casado e pai de dois filhos, disse ainda não ter antecendentes criminais e contou que aceitou o 'trabalho' porque está desempregado. O homem foi preso em flagrante por tráfico de drogas e levado para a Delegacia de Iporã, mesmo destino do veículo e dos 106 tabletes de maconha - que, no total, pesaram 50,775 quilos.


Fonte : O Diário

Mulheres sensuais eram trunfo de esquema de corrupção

Luciane Hoepers, olhos verdes e aparições em revistas masculinas e programas de TV, integrava o rol de motivos com os quais a quadrilha desbaratada pela PF na Operação Miqueias convencia prefeitos a investir dinheiro da previdência municipal em fundo fraudulento



O escândalo de desvio de recursos de fundos de pensão de prefeituras e governos estaduais, que foi revelado pela Operação Miqueias da Polícia Federal, ganhou um novo componente para lá de explosivo. A quadrilha usava mulheres bonitas e sensuais para se aproximar de prefeitos, políticos ou pessoas que poderiam auxiliar no esquema fraudulento.
Uma dessas mulheres é Luciane Hoepers, 1,75 metro, 33 anos, olhos verdes, e que já está sendo chamada de Musa da Operação Miqueias. Ela é conhecida do meio televisivo, já foi garota do time de futebol Avaí, de Santa Catarina, participou do reality show Casa Bonita, atuou no Zorra Total e trabalhava como agente financeira do grupo Invista, operado pela quadrilha. A bela agora está presa.Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo mostrou que foi Luciane quem almoçou com os deputados goianos Samuel Belchior, Daniel Vilela e Leandro Vilela – todos do PMDB. O encontro foi documentado em fotos pela PF. Ao jornal, Leandro disse que não se lembra da moça nem do almoço. Samuel disse em nota que se encontrou com uma “pessoa” que estaria sendo investigada pela PF, mas não revelou se era homem ou mulher.
O nome de deputados goianos aparecem em outra reportagem. Desta vez em O Globo. A matéria fez um perfil da musa Luciane Hoepers e publica até trecho de um diálogo dela com um prefeito identificado apenas como Júnior:
- Alô, prefeito Júnior. Tudo bem? Aqui quem fala é a Luciane da Invista. Tá lembrado?- Tô lembrado, difícil esquecer.
A PF diz que Luciane é ligada ao doleiro Fayed Antoine Traboulsi, um dos líderes da quadrilha. As interceptações telefônicas mostram que ela mantinha vários contatos com políticos. Na lista de municípios onde Luciane procurou prefeitos e ex-prefeitos estão cidades de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Santa Catarina e São Paulo.
Os grampos da PF mostram que no dia 26 de março deste ano Luciane comunicou a um dos chefes que iria almoçar com o filho do prefeito de Aparecida de Goiânia (GO), além de alguns deputados goianos. “Segundo ela, um deles é um deputado fortíssimo que vai sair na próxima eleição como candidato a governador do Estado”, afirma a reportagem.
O filho do prefeito é o deputado estadual Daniel Vilela. O prefeito é Maguito Vilela, ex-senador e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos. O deputado fortíssimo seria Samuel Belchior, que já foi sondado pelo PMDB para ser o candidato do partido na sucessão estadual de 2014. O pai de Samuel, Lauro Belchior, era à época presidente do instituto municipal de previdência de Goiânia.
Matéria de O Popular (de Goiânia) desta segunda-feira fala do caso.
Daniel confirmou ao jornal que teve o encontro sim e foi numa reunião do PMDB em Brasília. Ele afirma que conheceu Luciane, mas não teve mais contato com a mulher. “Samuel Belchior não foi encontrado para comentar o caso, mas fontes próximas ao deputado confirmaram o encontro”, encerra o texto do jornal.

Planalto

As repercussões da Operação Miqueias preocupam o Palácio do Planalto. Na noite de sexta-feira (20), o assessor do Ministério das Relações Institucionais Idaílson Vilas Boas Macedo foi demitido após ser acusado pela PF de ser o lobista da quadrilha. Idaílson trabalhava diretamente com o subchefe de Assuntos Federativos da Presidência da República, Olavo Noleto, atualmente o goiano que ocupa o mais alto cargo no governo federal.
As investigações levaram à prisão de ao menos 20 pessoas em nove estados, além do cumprimento de dezenas de mandados de busca e apreensão. Entre os bens apreendidos constavam vários veículos de luxo, como uma Ferrari e uma Lamborguini. Ao longo de 18 meses de investigação, grupo teria movimentado R$ 300 milhões.