quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Cida Borghetti não é mais do PP


A deputada federal de Maringá Cida Borghetti está deixando o Partido Progressista (PP) para assumir a presidência do Partido Republicano da Ordem Social (Pros) no Paraná. A confirmação foi dada nesta quarta-feira (2), após o site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ter publicado a provisória da nova sigla.Em nota, Cida informou que o partido montará chapa própria nas eleições para deputado estadual e federal e que deve ter candidatos a governador e senador em 2014. “Todas as experiências adquiridas serão levadas a esse novo desafio de presidir um partido que acaba de nascer. Tenho uma história de sucesso dentro do Partido Progressista que sempre levarei comigo”, declarou em comunicado divulgado para a imprensa. A presidente do Pros informou que aguarda a adesão de muitas lideranças, prefeitos e centenas de vereadores nos próximos dias. O prazo para quem deseja se filiar na nova legenda e concorrer na eleição do ano que vem termina no próximo dia 5. Cida Borghetti foi a quinta deputada federal mais votada no Paraná em 2010, com 147.910 votos, melhor resultado entre os candidatos do PP ao cargo. Ainda foi deputada estadual por dois mandatos e é mulher do secretário de Estado de Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros, que também é tesoureiro nacional do PP. A reportagem tentou contato com Cida, mas a informação é de que ela não poderia atender a imprensa na tarde desta quarta. No entanto, a assessoria da deputada informou que a saída do PP ocorreu de forma amigável e sem rupturas. Deputada volta para a Câmara este mês Em junho, Cida pediu licença de seu mandato de deputada federal por quatro meses para tratar de assuntos particulares. Segundo a assessoria da parlamentar, ela deve reassumir o cargo na Câmara no próximo dia 13. Enquanto isso, ela está sendo substituída por Luciano Pizzato (DEM).

Fonte: Gazeta Maringá

Grávida morre após comer bombom supostamente envenenado

Uma jovem, de 21 anos, que estava grávida de dois meses, morreu após comer um bombom supostamente envenenado e que teria sido dado pelo namorado, na noite desta terça-feira (01), no município de Carira (SE), a 112 km de Aracaju. A vítima morava no Povoado Lagoa Verde, na zona rural do município, e no início da noite desta terça, saiu com o namorado e retornou para casa passando mal por volta das 21h. A jovem pediu socorro aos familiares e ao ser questionada se teria comido algo estranho, disse ter consumido um bombom oferecido pelo namorEla foi encaminhada ao Hospital de Itabaiana, a 58 km da capital, onde chegou a ser atendida, mas não resistiu e morreu. O corpo da jovem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), em Aracaju, por volta das 3h40 da madrugada, bem como o laudo expedido pelo hospital, que indicava, segundo a tia da vítima, a suspeita de morte por envenenamento. Exames realizados pelos peritos do IML irão comprovar ou não a suspeita. De acordo com informações da tia da vítima, que não quis ter o nome divulgado, a jovem mantinha um relacionamento com o suspeito, que era casado, havia oito anos. Ele teria pedido à jovem que abortasse a criança, mas ela informou à família, que manteria a gravidez, no entanto, seria em segredo, pois não aceitaria o pedido do namorado. Ainda segundo a tia, no início do namoro com a vítima, o suspeito teria conhecido outra mulher e casado com ela. Mas, mesmo assim, teria continuado a se relacionar com a jovem. O corpo foi liberado pelo IML no início da manhã desta quarta-feira (02), e será sepultado no Povoado Lagoa Verde às 15h. Familiares irão procurar a polícia para que o caso seja investigado.ado durante o encontro.

Fonte: G1

Raio provoca incêndio em emissora de rádio

A queda de um raio durante um temporal na madrugada desta quarta-feira (02), em Jacarezinho, cidade ao Norte do Paraná, provocou um incêndio que atingiu uma emissora de rádio da cidade. A empresa de comunicação fica no Centro da cidade e não possuía seguro, conforme contaram os proprietários. As chamas destruíram aparelhos da emissora, danificaram computadores e móveis. Além disso, a casa dos proprietários também foi atingida, pois fica no mesmo local. Uma empresa de confecções também teve prejuízos, pois o calor intenso danificou a aparelhagem. O Corpo de Bombeiros foi chamado para controlar o incêndio. Os donos da rádio ainda não calcularam os valores do prejuízo.

Após pegar carona com namorado da mãe jovem é encontrada morta

A jovem de 18 anos que desapareceu após pegar uma carona com o namorado da mãe, na última sexta-feira (27) foi assassinada. O corpo já em decomposição foi encontrado ontem (1º), sem roupas, no Bairro Fazendinha, a 40 quilômetros de Rio Negro, região metropolitana de Curitiba (PR). Aline Moreira pegou carona para ir de Mafra (SC) a capital paranaense e desde então não tinha mais aparecido. O corpo da vítima tinha hematoma na cabeça. Há suspeita de que ela tenha sofrido abuso sexual. O namorado da mãe José Ademir Radol de 48 anos, é o principal suspeito do crime e está foragido. A mãe contou que recebeu mensagens da filha pedindo socorro, conforme informações da rádio Banda B.

Carona 

Em depoimento, a mãe de Aline disse que o namorado da filha morava em Curitiba e por isso ela pegou carona com José Ademir. Eles saíram de Mafra no final da tarde de sexta-feira. Horas depois, a jovem mandou mensagens à mãe e ao namorado pedindo socorro. O homem também teria mantido contado com a mãe e dito que deixou Aline na Rodovia do Xisto, na região metropolitana de Curitiba, após o carro apresentar problemas mecânicos. Ele pediu para encontrar a mulher, mas com medo e a filha desaparecida, ela recusou. Identidade falsa A mãe de Aline conheceu José Ademir em redes sociais e ele teria dito que se chamava “Márcio Melo”. Agora, a polícia descobriu que o nome era falso. O suspeito já teria tentado atacar outra mulher em Santa Catarina, de acordo com a polícia, mas ela conseguiu fugir e avisou a polícia.

ANTT autoriza reajuste de 6,98% nas tarifas de ônibus interestadual e internacional



A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou reajuste de 6,981% nas tarifas de ônibus interestaduais e internacionais, em percursos superiores a 75 quilômetros da origem. O aumento vale a pDe acordo com a resolução publicada nesta quarta-feira (2) no "Diário Oficial da União", o reajuste não se aplica ao transporte rodoviário interestadual e internacional semiurbano (até 75 km). Isso será "determinado em ato específico", diz a agência. A autorização do aumento foi dada diante "da necessidade de manter o equilíbrio econômico-financeiro das permissionárias e autorizatárias do transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros", de acordo com a resolução da agência. A ANTT divulgou os novos valores, listando os coeficientes tarifários (CT) em reais por passageiro (acesse a resolução do "Diário Oficial" aqui), que devem ser multiplicados pelos quilômetros percorridos. Por exemplo, para o transporte interestadual com serviço convencional (com sanitário), com pavimento tipo I (há vários tipos, como pavimentado, implantado ou leito natural), o coeficiente é de 0,135. O coeficiente tarifário é calculado com base no índice de reajuste do óleo diesel, do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e do Índice de Preços ao Consumidor - Amplo (IPCA). Sobre ele incidem impostos, tarifas de pedágio cobradas em rodovias cedidas em concessão para a definição do preço final da passagem paga pelo usuário do serviço, de acordo com a ANTT.artir da 0h desta quinta-feira (3).

Estudante sofre abuso na frente da professora

“Eu senti muita vergonha, porque todo mundo estava vendo o meu peito.” Foi assim que a aluna de 11 anos, do 5 ano da Escola Municipal Plínio Ayrosa, na Freguesia do Ó, respondeu ao DIÁRIO sobre o que sentiu quando sete colegas tiraram a sua blusa e seu sutiã e tocaram seus seios dentro da sala de aula. Uma professora substituta estava no local e nada fez. A violência é investigada pela 4 Delegacia da Mulher como abuso sexual. O caso aconteceu na última quinta-feira, dia 26, durante a aula de matemática. A estudante foi chamada por uma “colega” para o fundo da sala. Empurrada, foi cercada por cinco meninos e duas meninas. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, todos os envolvidos estão “na faixa dos 10 anos”. O DIÁRIO confirmou que pelo menos uma das meninas tem 14 anos. Um outro menino também teria essa idade. A pasta, após ser confrontada com esses dados, informou ontem, cinco dias após o acontecido, não saber a idade exata dos alunos. Os sete levantaram a blusa da estudante e começaram a pegar em seus seios. Ela gritou, mas não foi socorrida pela professora. A agressão só parou quando um dos meninos tentou colocar a mão dentro da calça da garota. “Eu estava menstruada. Fiquei com mais vergonha ainda. Empurrei um menino e só assim consegui sair.” Na diretoria, enquanto ela contava o caso para o coordenador, uma das agressoras entrou na sala, “várias vezes”, para inibi-la. “Ela me esperou na saída para ver se eu tinha falado dela”, contou. A agressão aconteceu por volta das 17h, mas a mãe da menina só ficou sabendo cerca de duas horas depois. Para ela, a família sofreu duas agressões. A segunda foi quando chegou na escola e os professores, segundo a mãe, foram hostis. “Eles falavam que ela tinha mudado e não estava indo bem nas matérias. Isso não justificava o que tinha acontecido.” Depois que a agressão foi registrada na polícia, a escola procurou a família e informou que um psicólogo iria atender a criança. “Não quero só psicólogo. Quero outra escola para ela. Minha filha está com medo”, disse a mãe. A delegada da 4ª DDM, Magali Celeghin Vaz, aguardava, ontem, o diretor da escola levar o nome dos pais dos alunos acusados pela menina.

Fonte: Diário de São Paulo

14 pessoas são detidas por tráfico de drogas em Maringá e Sarandi


Foto O Diário

Quatorze pessoas foram detidas por envolvimento com tráfico de drogas em Maringá e Sarandi, entre a noite de terça-feira (1º) e as 9h15 desta quarta-feira (2). As prisões de 12 adultos e as apreensões de dois adolescentes fazem parte de uma operação da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc). No total, 21 mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos. As informações são do delegado do Denarc na cidade, Adão Wagner Loureiro. Entre os presos há nove homens e três mulheres. Os adolescentes apreendidos têm 17 anos. O delegado afirma que a maioria das pessoas fazia parte de uma mesma quadrilha que vendia maconha, cocaína e crack na região e que era investigada há, pelo menos, três meses. As drogas eram de origem paraguaia. Os integrantes da quadrilha foram localizados nas próprias residências em diversos pontos de Maringá e de Sarandi. No total, a polícia encontrou durante a operação cerca de 60 quilos de drogas e três armas de fogo – dois revólveres calibre 38 milímetros e um de 32 milímetros. Os 14 detidos foram encaminhadas para a 9ª Subdivisão de Policial (SDP), em Maringá. Eles irão responder pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, corrupção de menores e associação para o tráfico. Segundo o delegado do Denarc, sete outros mandados de prisão e de busca e apreensão devem ser cumpridos ao longo do dia. Cerca de 60 policiais integrantes do Denarc, além de policiais civis e militares, participam da ação.