quarta-feira, 30 de outubro de 2013

ROBINSON MONTEIRO EM SARANDI

DIA 5 DE NOVEMBRO O CANTOR ROBINSON MONTEIRO QUE INCLUSIVE PARTICIPOU DO PROGRAMA RAUL GIL, VAI SE APRESENTAR NA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS SARANDI CENTRO, NA RUA JAÇANÃ 379 A PARTIR DAS 19 HORAS. ROBINSON JÁ VENDEU MAIS DE 1 MILHÃO DE DISCOS NO BRASIL E ESTARÁ TESTEMUNHANDO AS MARAVILHAS DE DEUS.


Sarandi terá 85% de moradias ligadas na rede de esgoto


 O Município de Sarandi vai receber o maior investimento da história do governo federal R$ 26 milhões para saneamento básico que fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Os recursos foram obtidos pelo Deputado Federal Edmar Arruda, Deputado Estadual Enio Verri e da Ministra Gleisi Hoffmam. O anúncio foi feito, pela presidente da República, Dilma Rousseff (PT), e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro. Os recursos serão utilizados para a construção de galerias de esgoto em 85% dos domicílios, atualmente Sarandi conta 6% de rede de esgoto. O Deputado Edmar Arruda contou aos jornalista, em entrevista coletiva, na última segunda-feira (28), que Sarandi não estava na lista para receber recurso para o saneamento, e que a cidade só se beneficiou graças ao empenho dos técnicos da Autarquia Águas de Sarandi, e da persistência do Prefeito Carlos Alberto de Paula que conseguiram fazer um projeto com as especificações que pedia o ministério das cidades, e da persistência do Prefeito Carlos Alberto de Paula, que esteve várias vezes no gabinete dos Deputados, com os projetos em baixo do braço pedindo ajuda para o município, foi a união de todas as forças.”A vinda destes recursos para Sarandi nos prova mais uma vez que temos que somar ignorando as bandeiras partidárias para conseguirmos recursos para os nossos municípios. Sarandi vai passar de 6% de coleta de esgoto para 85% dos domicílios. Eu tenho certeza que até o final desta obra nos vamos conseguir mais recursos para chegar a 100% dos domicílios. Aquela história que esgoto é obra que não aparece é coisa do passado para nós, esgoto tem que ser priorizado, é questão de saúde”, explicou o Deputado Para o Deputado Estadual Enio Verri, foi o trabalho de muita gente para que estes recursos viessem para Sarandi.”Os recursos estão disponíveis, só que para conseguir que eles cheguem nos lugares certos é preciso bons projetos e muito trabalho do prefeito dos deputados, e o Edmar abraçou esta causa para Sarandi porque conhece os problemas que a cidade enfrenta, a ministra Gleisi Hoffmann, também entendeu a importância do saneamento para Sarandi e cuidou para que mais da metade dos recursos disponibilizados para saneamento viessem para o município, nós vamos continuar ajudando sempre que pudermos tendo bons projetos nós conseguimos a liberação dos recursos. Segundo o Prefeito Carlos Alberto de Paula Junior, os projetos devem ser entregues para a Caixa até Dezembro e a obra deve começar até maio.” Este número de domicílios com esgoto vai colocar nossa cidade em um patamar diferente, vamos deixar de ser uma ilha do terceiro mundo, isto graças ao trabalho de uma equipe que esta empenhada em mudar a nossa realidade”. 

Com informações:  Assessoria de Comunicação de Sarandi

BETO RICHA DA UMA DE JOÃO SEM BRAÇO E SAI PELA TANGENTE


Adicionar legenda
Quando esteve em Sarandi na última quarta-feira (23), o governador Beto Richa  concedeu entrevista coletiva e falou sobre vários assuntos. Eu fiz uma pergunta relacionado ao grande transtorno que é a Avenida Colombo com a Londrina em Sarandi, que precisa urgente de um viaduto.
Para minha surpresa Beto Richa disse não saber o que era a Colombo e que não sabia do problema. Bem, fica a nítida demonstração que o governador realmente não sabe dos problemas de Sarandi. Talvez o Prefeito juntamente com o executivo não tenha ido até governador cobrar o mesmo para que posso ajudar a solucionar este problema pois, dinheiro para contorno de Mandaguari e duplicação entre Maringá e Paisandu tem, mais para sarandi nada.Isso é lamentável.

Ouça aqui a fala do governador

CCJ da Câmara aprova PEC que cria cota racial para deputados e vereadores

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara deu parecer favorável à tramitação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria cotas raciais para deputados federais, estaduais e vereadores. Em reunião deliberativa ordinária na manhã desta quarta-feira, os membros da CCJ aprovaram o parecer do relator, deputado Luiz Couto (PT-PB), que considerou a proposta constitucional. De autoria do deputado Luiz Alberto (PT-BA), a PEC 116/2011 prevê a reserva de vagas para parlamentares que se autodeclarem de origem negra por um período de cinco legislaturas - ou seja, 20 anos - após a eventual promulgação da emenda à Constituição. Ao término deste prazo, a PEC prevê a possibilidade de prorrogação por mais cinco legislatura, a partir da sanção de lei complementar. Pelo texto, o percentual de vagas relativas às cotas raciais seria "correspondente a dois terços do percentual de pessoas que se tenham declaradas pretas ou pardas no último censo demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na circunscrição do pleito, desde que o número de lugares reservados não seja inferior a um quinto ou superior à metade do total de vagas".O deputado sugere que as vagas reservadas para parlamentares negros seriam preenchidas separadamente, "em eleições realizadas simultaneamente com aquelas destinadas a preencher as demais vagas na respectiva casa legislativa". "Cada eleitor disporá de um voto específico para as eleições destinadas a preencher as vagas reservadas a parlamentares oriundos da população negra", diz um dos trechos da PEC. Às candidaturas relativas às cotas raciais seriam registradas pelos partidos políticos, eleitas de acordo com as mesmas regras vigentes para as eleições proporcionais. "O que se propõe aqui é dar um choque de democracia nas casas legislativas e que esse choque recaia justamente sobre a questão decisiva em todas as discussões histórica e teoricamente mais relevantes sobre a democracia no Brasil, que é a das relações entre equidade racial e equidade social, econômica, cultural e política", argumenta Luiz Alberto na justificativa da PEC. Após a aprovação pela CCJ, a proposta segue agora para a análise de uma comissão especial, cuja criação depende de decisão da mesa diretora da Câmara. Caso seja aprovada pela comissão especial, o texto passará ainda por votações em dois turnos na Câmara e no Senado, necessitando do voto de três quintos dos parlamentares de cada Casa (308 deputados e 49 senadores, respectivamente).


Fonte: Terra