Dilma é vaiada de novo e Planalto abafa áudio




Em pré-campanha, a presidente Dilma Rousseff (PT) foi até o Pará e, mais uma vez, foi vaiada. É a segunda vaia em menos de uma semana. Durante seu discurso, trocou “Pará” por “Ceará” e irritou o público que se uniu aos manifestantes em uma sonora vaia. O áudio que deveria conter a íntegra do discurso de Dilma no Pará foi editado. Um corte seco foi realizado para as vaias não vazarem no arquivo. Não é a primeira vez que isso acontece. Em outubro passado, a NBR editou um vídeo para livrar Dilma de uma declaração controversa no Dia das Crianças. A manifestação ocorreu em Belém. Ao ouvir as vaias, a presidente afirmou que respeita “o direito de opinião dos brasileiros”. Apesar da declaração de Rousseff, alguns manifestantes relataram ameaças dos seguranças da Presidência. O tradicional “olê, olê, olê, olá, Dilma, Dilma”, puxado pelos seguranças e funcionários das comitivas para “gerenciar” crises com o público foi usado para tentar “combater” os manifestantes. Mais vaias É segunda vez em menos de uma semana, na região Norte, que Dilma foi vaiada. O primeiro caso foi durante o discurso de entrega das 1788 unidades do “Minha Casa, Minha Vida” em Araguaína, interior do Tocantins. A petista, criticada na abertura do evento pelo tucano Siqueira Campos, governador do Estado, enfrentou a manifestação de moradores contemplados em outro programa habitacional do PT. Eles cobravam equipamentos públicos, como escolas e postos de saúde, prometidos em 2011, mas não entregues até agora. Incomodada com as críticas, Dilma esboçou algumas indiretas ao opositor. Em uma delas, cometeu gafe ao confundir “berço esplêndido” com “berço de ouro”.

Comentários

As mais visitadas

Clínica da Mulher de Sarandi é interditada

Feto é encontrado em estação de tratamento de esgoto

Mulher é assassinada e tem galho introduzido nas partes íntimas