Visita de Lula ao Paraná teve gafes, estragos políticos e denúncias no Ministério Público

O ex-presidente Lula (PT) tinha dois objetivos na sua visita ao Paraná na última semana: impulsionar a pré-candidatura de Gleisi Hoffmann (PT) – último lugar nas pesquisas – e convencer o ex-senador Osmar Dias (PDT) a sair como vice do PT na disputa do Governo do Estado. Deu-se mal nas duas. Lula foi embora sem cumprir os objetivos da visita e provocou novos estragos na candidatura da companheira Gleisi. Ao pedir desculpas públicas a Osmar Dias por ter apoiado Roberto Requião (PMDB) em 2006, Lula provocou a ira de Requião que disparou contra Gleisi em várias postagens nas redes sociais. Tem mais: além das gafes políticas, o Ministério Público investiga o prefeito de Peabiru, Claudinei Minchio (PT), suspeito de comprar carne de carneiro, com dinheiro da merenda escolar, para servir no almoço de Lula e Gleisi com empresários paranaenses em Curitiba. O PT nega ter servido o prato típico – carneiro ao vinho – da cidade de Peabiru. No encontro com petistas em São José dos Pinhais, Lula se atrasou três horas e esvaziou o salão do buffet que reuniu menos de 700 pessoas, a maioria assessores de políticos ligados ao petismo. Lula cometeu a primeira gafe ao dizer que seria difícil discursar sem antecipar a campanha, já que a propaganda eleitoral é proibida pela legislação até 6 de julho. Lula disse que já teve que pagar R$ 40 mil por pedir votos para a presidente Dilma Rousseff e brincou que se continuasse a falar teria que fazer não uma “vaquinha”, mas uma “boiada”, caso tivesse que pagar nova multa. Guerra é guerra - E no afã de agradar Osmar Dias (PDT), presente ao encontro, Lula pediu desculpas ao pedetista por apoiar Requião na eleição de 2006. O arrependimento do petista custou caro. “Na política há coisas que faço claramente, outras que recuso abertamente, mas repilo ingratidões e canalhice comigo. Daí é guerra!” anunciou Requião na sua conta no Twitter. A partir daí, Requião partiu para guerra focada em Gleisi e fez uma analogia da troca do atual governo, de Beto Richa (PSDB), “por Delubio, Gaievski ou Paulo Bernardo? Pense bem!”, disse o peemedebista aos seus 39 mil seguidores no Twitter. Requião ainda registrou que no encontro petista, “entre tantas presenças ilustres, ausências notadas: Delubio, Gaievski e Pizolatto”. “Eu não pedi, mas se guerra querem vamos a ela com todos os seus horrores”. E “Maluf, Palocci e Pizolatto não confirmaram presença no encontro com Gleisi e Dilma, com mulheres empreendedoras em Foz do Iguaçu”. Em tempo: Osmar Dias já adiantou que não pretende acompanhar a vice de Glesi e quer mesmo disputar a vaga paranaense no Senado.

Comentários

As mais visitadas

Mulher é assassinada e tem galho introduzido nas partes íntimas

Feto é encontrado em estação de tratamento de esgoto

PROCOM de Sarandi divulga programação e ações relacionadas a semana do consumidor