"Não vai ter Copa": manifestantes cercam ônibus em saída da Seleção

Uma manifestação de professores em greve da rede pública chegou até a porta do hotel da seleção brasileira, na manhã desta segunda-feira, próximo ao aeroporto internacional Tom Jobim. Cerca de 200 funcionários protestaram pacificamente contra a realização da Copa do Mundo no Brasil e causaram alvoroço antes e durante a saída da delegação rumo a Teresópolis. Até gritos contra o atacante Neymar, que chegou por volta das 4h (de Brasília), ecoaram no local. - Pode acreditar, educador vale mais do que o Neymar - gritavam. Duas vans com jogadores chegaram durante o protesto. Eles foram vaiados sem nenhum incidente. Na saída dos atletas para a Granja Comary, no entanto, adesivos com a mensagem "não vai ter Copa" foram colados nos vidros do ônibus. Os atletas foram chamados de mercenários. O veículo foi cercado e levou cerca de 30 minutos para conseguir sair do hotel, tendo inclusive de pegar uma rota alternativa para fugir do bloqueio dos manifestantes. Houve uma correria, mas sem registro de algum grande incidente.Cientes da manifestação deste a noite de domingo, a polícia montou um forte esquema de segurança no hotel. Além da presença da PM, com o batalhão de choque, homens da polícia federal também estavam presentes no local. Gritos de guerra chamaram a atenção durante o ato, que iniciou o protesto no aeroporto Galeão. - Da Copa eu abro mão! Quero mais dinheiro para a saúde e educação! Não vai ter Copa - gritavam os manifestantes.








Comentários

As mais visitadas

OCORRÊNCIAS DO SETOR POLICIAL EM MARINGÁ FINAL DE SEMANA

Ordem de serviço autoriza construção de uma nova Unidade Escolar Estadual em Sarandi

POLÍCIA DE MARINGÁ FLAGRA TÉCNICO DE FUTEBOL ABUSANDO DE MENINA DE 11 ANOS