Vírus chikungunya em Maringá

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) confirmou nesta segunda-feira (7) dois casos de febre chikungunya - doença viral semelhante a dengue - em Maringá. O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-PR) e pelo Instituto Evandro Chagas - laboratório de referência nacional. Os pacientes são dois missionários evangélicos que contraíram a doença em maio, no Haiti, onde estiveram em missão religiosa. Eles receberam tratamento adequado e já estão curados. "São dois casos importados, no entanto, intensificamos as medidas de controle, com a eliminação dos criadouros do mosquito Aedes", afirmou o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz. A febre chikungunya tem sintomas semelhantes aos da dengue - febre, dor lombar, dor de cabeça, feridas na pele - e é transmitida pelos mosquitos do gênero Aedes aegypti e Aedes albopictus infectados, presentes em todos os municípios do Paraná. Os sintomas desaparecem em até três semanas, porém alguns pacientes podem ter recaída nos meses subsequentes. A mortalidade é rara e ocorre principalmente em idosos. "A diferença é que a febre chikungunya não evolui para a forma grave da doença, como a dengue, mas pode incapacitar e afastar a pessoa do trabalho por um longo período", explica o médico da Secretaria estadual, Enéas Cordeiro. Equipes da Sesa irão percorrer diversas cidades do Paraná para capacitar profissionais sobre o diagnóstico e tratamento de doenças transmitidas por mosquitos, principalmente a dengue. Eles também abordarão a febre chikungunya como diagnóstico diferencial.

Fonte: O Diário

Comentários

As mais visitadas

Polícia Rodoviaria de Iporã apreende caminhonete carregada com 11 Fuzis, condutor e carona são de Sarandi

Feto é encontrado em estação de tratamento de esgoto