Irmão de Requião é preso em Curitiba



Prisão só pode ocorrer neste período em flagrante delito. Foi o que aconteceu com o ex-secretário de Educação do Paraná Maurício Requião, irmão do candidato ao governo estadual, Roberto Requião (PMDB), que foi detido, com mais duas pessoas, no início da tarde desta quinta-feira (2) sob acusação de invadir um galpão com materiais de campanha do candidato Beto Richa (PSDB), na capital do estado.. No mesmo ato foram também detidos os indivíduos Tadeu de Melo e Silva, sobrinho do ex-governador Roberto Requião; e o advogado Leonidas Chavez Filho, que trabalha na campanha do PMDB. Maurício Requião, que à época da administração Requião era um dos apontados como beneficiado pelo nepotismo, conversou com jornalistas e disse que entrou no barracão, que fica no bairro Portão, para denunciar a existência de panfletos apócrifos contra o irmão-candidato. Agentes do Comando de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil e da Polícia Militar, o procurador da Justiça Eleitoral Alessandro de Oliveira e um representante da Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná (OAB-PR) foram até o barracão. Segundo informou o coordenador jurídico da campanha de Requião, Luiz Fernando Delazari, que se deslocou para o barracão, a campanha recebeu denúncias de que materiais apócrifos contra o senador estariam sendo armazenados no barracão. Por isso, o irmão do candidato, Maurício Requião, teria ido até o local na manhã de hoje, mesmo não sendo autoridade policial. E, pela informação, teria encontrado grande parte dos folhetos sendo queimados. Após a chegada da Polícia Militar, os três teriam recebido voz de prisão por invasão de propriedade. De início, a intenção era levá-los até uma delegacia, mas houve um consenso de que ninguém será levado preso do local. Um oficial de Justiça está no barracão, realizando uma vistoria, enquanto um segundo oficial também está se encaminhando ao local. A Polícia Civil não confirmou as informações. 

PT também está no local 

Advogado da campanha da candidata do PT, Gleisi Hoffmman (PT), Gustavo Guedes esteve também no l ocal e afirmou ter confirmado a existência de panfletos contra Requião, Gleisi e a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição. 

PSDB diz que panfletos foram plantados 

A campanha do candidato à reeleição Beto Richa confirmou que o barracão é utilizado como depósito de cavaletes e outros materiais. O coordenador da campanha, deputado Eduardo Sciarra (PSD), que foi para o local, afirmou que os materiais apócrifos teriam sido plantados para comprometer a coligação que apóia Beto Richa. Sciarra disse ainda que a invasão do barracão é um ato de desespero da campanha de Requião.


Comentários

As mais visitadas

CCJ aprova PEC que exige nível superior para cargos públicos de confiança

Motoristas de carros com câmbio automático podem ganhar CNH específica

Membros do 1º Conselho Municipal da Cultura tomam posse