Maringá entra em alerta contra dengue



A Prefeitura de Maringá entrou estado de alerta por causa do alto índice de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre chikungunya — de acordo com levantamento divulgado nesta segunda-feira (8), o índice atual é de 1,9%, maior do que o 1% considerado "aceitável" pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A medição foi feita entre os dias 24 e 28 de novembro, e considera o número de focos encontrados em cada 100 residências visitadas. Em setembro, o índice era de 0,4%, segundo a Secretaria de Saúde. O novo levantamento causa preocupação, afirma o secretário Antonio Carlos Nardi.“Voltamos a apelar aos moradores para os cuidados com água parada, especialmente com lixo e outros resíduos no quintal, que continua como principal criadouro do mosquito, com o agravante para o risco da febre chikungunya”, alertou o secretário de Saúde. A situação mais crítica, conforme o levantamento, foi encontrada nos bairros Jardim Olímpico, Montreal, Mandacaru e Mandacaru II, com infestação de 4,2%, considerada de alto risco. Os quatro bairros tiveram 45% dos focos encontrados em lixo ou em resíduos nos quintais. Os bairros Lea Leal, Branca Vieira, Oásis e Pinheiros, com 3,3%, e Parque Residencial Aeroporto, Porto Seguro e Vila Nova, com 2,9%, têm índices considerados de médio risco. Conforme o secretário de Saúde, 80 empresas foram intimadas a produzir e apresentar um plano de gerenciamento para prevenção e controle de dengue. Metade delas, diz Nardi, é de borracharias. "Vamos intensificar as estratégias com as temperatuas mais elevadas e a chuva mais constante, lembrando do risco também para a febre chikungunya”, lembrou o secretário.

Fonte: G1

Comentários

As mais visitadas

CCJ aprova PEC que exige nível superior para cargos públicos de confiança

Motoristas de carros com câmbio automático podem ganhar CNH específica

Membros do 1º Conselho Municipal da Cultura tomam posse