sábado, 4 de janeiro de 2014

População de Sarandi diz que a cidade esta abandonada

Todos os dias no meu programa de Rádio pela Rádio Banda 1 AM 1090, recebo inúmeras reclamações de cidadãos Sarandienses que reclamam sobre o abandono por parte da prefeitura municipal. São reclamações de bueiros entupidos, terrenos baldios cheios de mato, asfalto esburacados e muito mais. Enquanto isso o poder público de Sarandi não faz nada, nada, nada. Uma inércia total.

 Veja aqui algumas das reclamações dos meus ouvintes no programa de sexta-feira (3).


PROGRAMA CONEXÃO TOTAL COM VALDIR COSTA  

[08:32:50] genesio jd.bom pastor valdir aqui no nosso bairro esta difícil ate de andar porque só tem buraco eu moro na rua verbo divino e esta complicado .

[09:12:14] ivonete jd.independencia 3º parte no ar

[09:16:38] antonio jd.novo independencia no ar

[09:36:53] rose jd.novo independencia valdir da um alo para o pessoal do meio ambiente pra vir limpar aqui pra baixo do hospital porque esta cheio de bichos ratazanas e ate cobras tem ,eu ja fui la no meio ambiente reclamar e ate agora ninguém apareceu

[09:46:58] rosilda do alvamar valdir pergunta pro paulo sobre a arvore da jose volpato que esta com galho quebrado e ja fiz reclamação e ate agora nada

[09:48:43] malvina campana valdir no final da cuiaba proximo a tres lagoas tem terrenos baldio esta muito sujo e com muito coisas jogadas e juntando muitos bichos ate mosquito da dengue

[09:49:40] maurilho jd.independencia valdir pede ai pro paulo quando vão começar a resolver os problemas dos bueiros

[09:51:56] maria inês jd.santana na rua nova andradina valdir aqui no bairro estao fazendo casas geminadas e quando eles terminam os trabalhos eles jogam os lixos nos terrenos baldios e junta muito bichos


[09:53:21] euzeni valdir eles teriam que deixar um telefone para as pessoas que tem moveis ou eletros para jogar fora ai as pessoas ligam e eles vem buscar porque quem não tem carro vai levar as coisas nas costas

Mãe de ator acusa filho de roubar R$ 400 mil dela para pagar dívidas com traficantes e prostitutas




A aposentada Maria José, de 80 anos, mãe do ator Hugo Gross, que está afastado das novelas desde "Aquele beijo", em 2011, está acusando o filho de ter roubado a quantia de R$ 400 mil — referente à venda de um imóvel que ela possuía em Copacabana — e usado o dinheiro para pagar dívidas com drogas e prostitutas. Segundo a aposentada, Hugo recebeu pela venda do apartamento o valor de R$ 700 mil. Desse dinheiro, ele comprou um outro imóvel um pouco menor para ela na Barra da Tijuca, no valor de R$ 300 mil. “Tenho tudo documentado e queria que ele me ressarcisse de alguma maneira. Ele me expulsou da casa dele, me jogou aqui, nesse apartamento velho, sozinha, em setembro, e nunca mais veio me ver. Vivo de aposentadoria e estou passando necessidade. Ele contou para o corretor de imóvel, amigo nosso, que usou o meu dinheiro para pagar traficantes de drogas, agiotas e prostitutas. Ele tem uma agenda só de prostitutas. Meu filho é um drogado”, desabafa dona Maria. Em março, a aposentada internou o ator numa clínica para dependentes químicos em Botafogo, após encontrá-lo, segundo ela, “num estado deplorável” no apartamento dele na Barra. “A médica que o atendeu disse que por pouco ele não teve uma overdose de cocaína. Nunca vi o meu filho daquele jeito, soltando espuma pela boca, com a casa cheia de moscas. Foi doloroso demais para mim. Chorei muito.” Todo o drama familiar foi confirmado pela irmã mais velha de Hugo, a representante comercial Claudia Gross. “É tudo verdade. Ele é um drogado, roubou a minha mãe e a mim”, disse ela, que prestou queixa contra o ator na 12ª DP (Copacabana) por conta de uma dívida de 50 mil em multas num carro que está em nome dela. “Comprei um carro em meu nome para ele, com a promessa de que ele me pagaria as prestações. No segundo mês, ele já não pagou mais. Depois falsificou documentos para se livrar de uma dívida de R$ 50 mil em multas. Tenho tudo documentado e gravado. Isso dá cadeia”, queixa-se. Mãe e filha, no entanto, divergem sobre como desejam que seja o desfecho do episódio: “Eu não quero que o meu filho vá para a cadeia, ela (a irmã) quer. Mãe nenhuma quer ver o seu filho preso. Eu só quero que ele me pague de alguma forma. O dinheiro era meu, ele não me pediu. Se tivesse me pedido para pagar drogas e agiotas, eu teria dado, mas ele me tomou o dinheiro, me roubou. Só quero que ele arrume um jeito de me pagar para ficar tudo bem”, diz Maria José.