quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Mulher é presa ao entrar em delegacia com quatro celulares na vagina

De acordo com o Diário de Maringá, uma mulher de 33 anos foi flagrada na tarde desta quarta-feira (15) tentando entrar com celulares na cadeia da Delegacia de Polícia Civil de Cambé.segundo informações esta não é a primeira vez que Cristiane de Salvador Roela é detida por este crime. Em outubro de 2013 ela foi presa por ter escondido maconha nas partes íntimas.De acordo com o delegado de Cambé, Jorge Barbosa, ela foi pega em flagrante durante a abordagem de rotina antes da visita aos presos. Foram encontrados quatro celulares e um cabo de dados dentro do corpo dela. O material seria entregue ao marido de Cristiane, que está preso por tráfico de drogas. A mulher havia sido liberada da carceragem em dezembro, dois meses após ter sido presa ao tentar passar a maconha na carceragem. Na tarde desta quarta-feira ela assinou um termo circustanciado e ficará à disposição da Justiça. "A situação ficou complicada. Cabe à Justiça verificar se vai revogar a liberdade provisória dela", destacou o delegado.

Dilma deve autorizar mais um aumento no preço dos combustíveis



O governo e a Petrobras estimam para junho um novo aumento da gasolina e do diesel. O calendário, que não foi divulgado ao mercado, integra um dos pontos do mecanismo aprovado em dezembro pelo conselho de administração da empresa, presidido pelo Ministério da Fazenda. Na reunião de dezembro, o conselho iniciou uma nova política de preços com o reajuste de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel. À época, a estatal afirmou que o mecanismo fora adotado para garantir a "convergência dos preços internacionais ao mercado doméstico", há tempos defasado, e "assegurar a redução do nível de endividamento da estatal no prazo de 24 meses".Segundo um integrantes da equipe econômica, o calendário passou a preocupar mais a cúpula do Executivo após o reajuste do mês passado ter sido um dos vilões do aumento da inflação em 2013. Uma saída, segundo setores do governo, seria antecipar o aumento, talvez para março, diluindo assim o impacto do reajuste sobre a campanha de reeleição de Dilma Rousseff.