terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Obras do Jardim Universal em Sarandi tiveram início nesta terça-feira (4)

A Administração Municipal de Sarandi assinou nesta terça-feira, ( 4) a ordem de serviço para o inicio da pavimentação asfaltica no Jardim Universal. Serão investidos cerca de R$ 3 milhões de em recursos federais, as duas principais Ruas serão pavimentadas sem custo nenhum para os moradores. A construtora vencedora da licitação a Dreno Engenharia tem 300 dias para concluir a obra, depois de concluída esta primeira etapa, começa a ser feito a pavimentação nas ruas transversais na modalidade de asfalto comunitário. Estiveram presentes ao evento o Prefeito Municipal, vereadores, secretários municipais, representantes da comissão dos moradores. Para o secretario de Obras e Urbanismo de Sarandi, Elton Toy, a pavimentação não traz só desenvolvimento direto, mas privilegia todos os setores, como a segurança e a saúde, esta administração pensa nos resultados como um todo. 


O Prefeito Carlos Alberto de Paula contou aos moradores, que a busca por esta pavimentação foi intensa, é uma reivindicação antiga que agora vai poder ser atendida. De Paula anunciou mais um beneficio para o bairro, a construção de uma Unidade Básica de Saúde com 546 metros, e também lembrou do retorno as aulas dos alunos da rede municipal no próximo dia 10, e que o uniforme vai ser entregue no primeiro dia. Moradora do bairro a 2 dois anos a vendedora de publicidade Edna Morato, diz que sempre confiou nesta administração. “Eu e meu marido construímos nossa casa aqui na confiança que em breve nosso bairro seria asfaltado, e graças a Deus o asfalto está chegando, nossa casa vai valorizar muito, vou poder deixar ela bem bonita, eu sabia que este compromisso feito seria honrado, como a maioria feitos por esta administração, valeu a pena nosso investimento”,contou Edna. 

Com informações: Assessoria de Comunicação de Sarandi

Apagão atinge consumidores do Sul e do Sudeste

Uma falha no sistema elétrico interrompeu parte da transmissão de energia entre o Norte e o Sudeste do país na tarde desta terça-feira (4), causando falhas no abastecimento de diversas cidades. Mais de um milhão de unidades consumidoras ficaram sem energia. O Ministério de Minas e Energia, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) e Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informaram estar ciente do problema e que ainda estão tentando dimensionar o impacto.O problema, de acordo com o ONS foi corrigido, mas ainda não houve tempo hábil para religar todas as áreas afetadas.
O apagão desta tarde também atingiu algumas regiões na cidade de Sarandi que ficou por aproximadamente uns 30 minutos sem energia elétrica.

Copa no Brasil deixará ônus, e não legado, diz relatora da ONU


Tidos pelo poder público como uma vitrine para o País e uma oportunidade de investimentos, os grandes eventos que serão realizados no Brasil acabaram servindo de estopim para uma série de reivindicações, que eclodiram nas agora conhecidas como jornadas de junho. Essas reivindicações seguem se desdobrando, causando dor de cabeça aos governantes e perplexidade aos estudiosos. No centro da questão, por sediar a final da Copa do Mundo e as Olimpíadas e fazer parte do imaginário estrangeiro do Brasil, a cidade do Rio de Janeiro e os seus 6 milhões de habitantes servem de laboratório, e se veem entre as promessas de uma cidade melhor e a realidade caótica de má qualidade dos serviços públicos e obras aquém do anunciado.Para a urbanista Raquel Rolnik, professora da Universidade de São Paulo e relatora especial do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Direito à Moradia Adequada, que acompanha de perto o processo desde 2009, a principal discussão que se coloca é o direito à cidade e a necessidade de se investir em uma cidade realmente para todos. "Não é comprar casa, comprar moto. Tem uma dimensão publica essencial que é a urbanidade e que precisa ser resolvida", afirma.

Com informações: 
Direto do Rio de Janeiro

Vargas é moloque e pit bul de torcida, afirma Boechat



Não sobrou adjetivo sobre adjetivo no comentário de Ricardo Boechat, hoje pela manhã na Band News, quando tratou do gesto do vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR), que provocou o presidente do STF, Joaquim Barbosa. "Foi uma atitude bastante moloque, de provocações, dignas de Pit Bull de torcida organizada", disse Boechat. "Ficou jogando para as câmeras, esmigalhando moscas, depois botou no twiiter: gostaria de dar uma cotovelada nele. Não deu, por que, machão?", cobrou o jornalista. Boechat comparou Vargas ao personagem "El Macho", do filme Meu Malvado Favorito. "É um rebelde sem calças. Foi uma mera provocação, mera bandalheira. Você quer dar uma cotovelada no Joaquim Barbosa? É macho suficiente para isso? Por que, não deu? Estava do lado dele", disse. "Uma cena lamentável. É uma vergonha. Jogo de cena para encobrir a bandalheira na República. Os reis estão nus. Eles não são isso que dizem que eles são", completou.

Rapaz é flagrado abusando de aluno da APAE e é preso



Foto: Camara Rec

Elemento foi preso na manhã desta terça-feira (04) acusado de abusar de um aluno da APAE  de Maringá idade 16 anos. Segundo a  Polícia Militar quando da realização de  patrulhamento pela Avenida Carmem Miranda no Cidade Alta II, viram uma motocicleta no meio de um matagal e em seguida  viu um adolescente sair correndo do local.
O policiais disseram que  ao adentraram a mata e encontraram Cleyton Silva de Aquino, 33 anos,  que estava  pelado se masturbando. Ainda segundo os policiais ao ser indagado o individuo  disse que estava ali só pra isso. O mesmo foi detido até os policias conversarem com os pais do adolescente, que disse a família que era a segunda vez que Clayton fazia isso com ele, e que se contasse o mataria. O garoto ainda disse que o homem obrigava ele  colocar peruca e calcinha para parecer uma mulher e abusava do mesmo. Clayton foi encaminhado para a delegacia onde disse que só é garoto de programa e que tem coisas de mulheres só para se satisfazer masturbando, ele está detido acusado de estupro de vulnerável.

STF manda prender João Paulo Cunha



Depois de trinta dias de espera, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, assinou nesta terça-feira a ordem de prisão contra o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP). A defesa do petista afirmou que ele deverá se entregar nas próximas horas à Polícia Federal em Brasília. Na sequência, deverá ser levado para o Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, onde dividirá cela com outros mensaleiros que já começaram a cumprir pena, como os colegas de partido José Dirceu e Delúbio Soares. Condenado no julgamento do mensalão a nove anos e quatro meses de detenção, o parlamentar começará a cumprir, inicialmente, seis anos e quatro meses de pena em regime semiaberto porque ainda recorre da condenação pelo crime de lavagem de dinheiro. Como está reticente em renunciar ao mandato, João Paulo poderá repetir o impasse de Natan Donadon (RO) no Legislativo brasileiro– o país agora passaria a ter dois deputados atrás das grades. A decisão para a prisão do deputado havia sido tomada por Barbosa no dia 2 de janeiro, mas só foi divulgada quatro dias depois. Porém, Barbosa saiu em férias sem concluir a documentação necessária para a prisão. Na sequência, os dois ministros que assumiram interinamente o comando do STF, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski, não quiseram despachar o mandado de prisão. Na véspera de ser preso, João Paulo promoveu um ato político: almoçou com petistas e filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) em um acampamento em frente ao Supremo, braço sindical do PT. O petista afirmou que pretende apresentar pedido de revisão criminal, além de recorrer a organismos internacionais contra sua condenação. Na noite desta terça-feira, ele havia programado mais um ato: distribuiria uma revista atacando o julgamento da Corte. Paralelamente, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR), número dois na hierarquia da Casa, provocou Barbosa nesta segunda, durante a abertura do ano legislativo. Sentado ao lado do presidente da Corte, o petista repetiu duas vezes no plenário o gesto dos mensaleiros José Dirceu e José Genoino quando se entregaram à polícia – braço erguido, com punho cerrado. Vargas também foi flagrado sugerindo em mensagem pelo celular que um colega acertasse uma cotovelada em Barbosa. João Paulo é o 21º condenado que começou a cumprir pena pelo julgamento do mensalão – o ex-dirigente do Banco do Brasil Henrique Pizzolato teve a prisão decretada, mas está foragido.

Fonte: Veja

Petista sugere vontade de dar 'cotovelada' em Joaquim Barbosa



Além da provocação direta ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, na abertura do ano legislativo, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR), sugeriu durante uma troca de mensagens pelo celular que gostaria de dar "uma cotovelada" no magistrado. A conversa por mensagens se deu durante a cerimônia, na qual o petista, sentado ao lado de Barbosa, ergueu duas vezes o braço, com o punho cerrado, repetindo o gesto usado pelos mensaleiros José Dirceu e José Genoino quando tiveram de se entregar à Polícia Federal, Na troca de mensagens, o interlocutor de Vargas pergunta: "Ele puxou conversa com você?". Vargas responde: "Não". A pessoa lhe responde: "E aí? Não vai quebrar o gelo não? Nem um Olá? Pergunta pra ele se vai assinar a prisão do j. paulo?", citando o deputado condenado no julgamento do mensalão, João Paulo Cunha (PT-SP), que aguarda mandado de prisão. Vargas responde: "Da uma cutovelada (sic)". Procurado pelo jornal O Estado de S.Paulo, que divulgou a troca de mensagens, o deputado petista afirmou: "Não tenho nada a comentar, mas essa mensagem existe".Ainda na Mesa Diretora da Câmara, onde se realizava a cerimônia, Vargas fez questão de repetir por várias vezes o gesto feito pelo ex-ministro José Dirceu e pelo ex-deputado Jose Genoino (PT-SP) quando foram presos, em novembro do ano passado. O petista disse que fez o gesto como forma de mostrar solidariedade a todos eles, uma vez que considera que o julgamento foi de exceção. O deputado petista disse ainda que Barbosa age com "sadismo" e de forma perversa com João Paulo Cunha, cuja ordem de prisão não foi expedida, embora a execução de pena já tenha sido determinada. "Parece que ele (Barbosa) está se comportando de forma sádica. Num dia, deu uma sentença negativa aos recursos do João Paulo. Esperava-se que ele já decretasse a prisão. O João Paulo veio para se entregar eventualmente, já que não teria outra alternativa. E ele não deu. Saiu de férias. E lá, das férias, criticou os ministros que não o fizeram. Em minha opinião, ele age de forma perversa ao se comportar desta forma. Deixou o João Paulo durante todo o recesso esperando o pior. É lamentável que aconteça (a prisão), mas é inevitável", disse. No ano passado, Vargas foi responsável por articular a aprovação da proposta que permite a criação de novos Tribunais Regionais Federais (TRFs), projeto que Barbosa se opunha, e por comandar a articulação para tentar evitar a cassação do ex-presidente do PT José Genoino. 

 Fonte: Estadão