quarta-feira, 19 de março de 2014

Visita de Lula ao Paraná teve gafes, estragos políticos e denúncias no Ministério Público

O ex-presidente Lula (PT) tinha dois objetivos na sua visita ao Paraná na última semana: impulsionar a pré-candidatura de Gleisi Hoffmann (PT) – último lugar nas pesquisas – e convencer o ex-senador Osmar Dias (PDT) a sair como vice do PT na disputa do Governo do Estado. Deu-se mal nas duas. Lula foi embora sem cumprir os objetivos da visita e provocou novos estragos na candidatura da companheira Gleisi. Ao pedir desculpas públicas a Osmar Dias por ter apoiado Roberto Requião (PMDB) em 2006, Lula provocou a ira de Requião que disparou contra Gleisi em várias postagens nas redes sociais. Tem mais: além das gafes políticas, o Ministério Público investiga o prefeito de Peabiru, Claudinei Minchio (PT), suspeito de comprar carne de carneiro, com dinheiro da merenda escolar, para servir no almoço de Lula e Gleisi com empresários paranaenses em Curitiba. O PT nega ter servido o prato típico – carneiro ao vinho – da cidade de Peabiru. No encontro com petistas em São José dos Pinhais, Lula se atrasou três horas e esvaziou o salão do buffet que reuniu menos de 700 pessoas, a maioria assessores de políticos ligados ao petismo. Lula cometeu a primeira gafe ao dizer que seria difícil discursar sem antecipar a campanha, já que a propaganda eleitoral é proibida pela legislação até 6 de julho. Lula disse que já teve que pagar R$ 40 mil por pedir votos para a presidente Dilma Rousseff e brincou que se continuasse a falar teria que fazer não uma “vaquinha”, mas uma “boiada”, caso tivesse que pagar nova multa. Guerra é guerra - E no afã de agradar Osmar Dias (PDT), presente ao encontro, Lula pediu desculpas ao pedetista por apoiar Requião na eleição de 2006. O arrependimento do petista custou caro. “Na política há coisas que faço claramente, outras que recuso abertamente, mas repilo ingratidões e canalhice comigo. Daí é guerra!” anunciou Requião na sua conta no Twitter. A partir daí, Requião partiu para guerra focada em Gleisi e fez uma analogia da troca do atual governo, de Beto Richa (PSDB), “por Delubio, Gaievski ou Paulo Bernardo? Pense bem!”, disse o peemedebista aos seus 39 mil seguidores no Twitter. Requião ainda registrou que no encontro petista, “entre tantas presenças ilustres, ausências notadas: Delubio, Gaievski e Pizolatto”. “Eu não pedi, mas se guerra querem vamos a ela com todos os seus horrores”. E “Maluf, Palocci e Pizolatto não confirmaram presença no encontro com Gleisi e Dilma, com mulheres empreendedoras em Foz do Iguaçu”. Em tempo: Osmar Dias já adiantou que não pretende acompanhar a vice de Glesi e quer mesmo disputar a vaga paranaense no Senado.

Prefeitura de Sarandi abre licitação para a colocação de granito no Parque Ecológico



A Administração Municipal de Sarandi está ultimando os detalhes para a conclusão das obras do Parque Ecológico de Sarandi. O Parque ainda não foi entregue a população, as obras ainda estão sendo feitas, a Secretaria de Meio Ambiente espera que todo o trabalho de recuperação das nascentes e a recuperação ambiental estejam totalmente concluídos para que o Parque seja entregue a população de Sarandi. A prefeitura abriu licitação para a contratação de empresa especializada nos serviços de colocação de granito, incluindo materiais e mão de obra, para a conclusão dos banheiros. O valor máximo a ser pago será de R$ 16.942,00, para a colocação de 37m² de granito para a divisória dos banheiros, 2 bancadas com cuba media oval e 2,80m² de pingadeiras na cor verde ubatuba. A data para a entrega dos documentos será no dia 1 de abril às 9 horas na sala de licitação. Maiores informações poderão ser obtidas no departamento de licitações compras e patrimônio no paço municipal, telefone (44) 3264-8623, fax: (44) 3264-8628. site: www.sarandi.pr.gov.br.

 Assessoria de Comunicação de Sarandi