sábado, 20 de setembro de 2014

Barbosa Ferraz: Homem é executado dentro da própria casa com 4 tiros na cabeça

Por volta das 08h30min da manhã deste sábado (20), policiais militares de Barbosa Ferraz foram chamados por moradores vizinhos ao local onde aconteceu o crime, onde uma criança de aproximadamente nove anos de idade saiu chorando do interior da residência da vítima, pedindo ajuda.No local os policiais encontraram a criança e no interior da casa, sobre um colchão que estava no chão da sala, o corpo de Ederson de Souza Braz, de 32 anos de idade, com muito sangue na região da cabeça e sobre o lençol. Com a chegada do investigador de polícia civil, em um primeiro momento foi constatado que Braz foi atingido com pelo menos quatro disparos de arma de fogo na cabeça. A perícia no local do crime verificou duas perfurações na nuca, cerca de 10 cm abaixo da orelha esquerda, uma perfuração ao lado da orelha esquerda (esta apresentava queimadura na orelha, demonstrando que o tiro foi dado com o cano da arma encostado na cabeça) e outra perfuração na face. A polícia encontrou ainda sobre uma mesa da cozinha, a camiseta que a criança vestia na noite do crime, toda ensanguentada, o que demonstra que o garoto estava deitado ao lado do pai quando aconteceu o crime. Muito apavorado e em estado de choque a criança não pode dar muitas explicações sobre o crime, mas disse que seu pai estava na companhia de outro homem durante a noite, mas que dormiu. A polícia ainda suspeitou que apesar do garoto negar que tem presenciado o crime, ele pode ter sido ameaçado pelo assassino e passou a noite toda dentro da casa, ao lado do corpo do pai. De acordo com a posição do corpo da vítima, percebe-se que Braz poderia estar dormindo abraçado ao filho e o assassino estaria sentado em um sofá, nas costas da vítima, efetuando os disparos a queima roupa. Uma moradora vizinha disse que por volta das 23 horas de ontem, escutou o barulho do que pareciam seis disparos de arma de fogo, mas não conseguiu perceber se teriam ocorrido dentro da casa. O investigador de polícia, Luiz Altino, ele disse que a polícia já tem o suspeito do crime, mas não pode dar mais informações para não atrapalhar as investigações.moradores da região, foi nos dito que a vítima já teve passagens pela polícia por envolvimento com drogas e recentemente foi detido após ter se desentendido com a ex-mulher. Braz trabalhava como cortador de cana e morava sozinho; nos finais de semana trazia o filho para ficar com ele. O corpo foi encaminhado ao IML de Campo Mourão.







TRE-PR determina suspensão de site de campanha de Requião



A Justiça Eleitoral do Paraná determinou que o site de campanha do candidato ao Governo do Paraná Roberto Requião (PMDB) seja retirado do ar por publicar conteúdos considerados irregulares pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR). A determinação se deve a duas decisões de suspensão por 48 horas. O candidato está sujeito a multa de R$ 20 mil por dia caso descumpra a determinação. Conforme o TRE, as decisões envolvem conteúdos com relação à campanha de Beto Richa (PSDB) - candidato à reeleição no estado. A última delas, concedida pelo juiz Guido José Dobeli, na quinta-feira (18), cita o fato de Requião ter associado a suposta desistência de ações judiciais contra concessionários do pedágio ao recebimento de R$ 3 milhões das mesmas empresas para financiamento de campanha de Richa. A outra decisão foi concedida na quarta-feira (17) pelo juiz Lourival Pedro Chemim e cita algumas falas de Requião consideradas ilegais em vídeos gravados em União da Vitória, na região central do estado, sobre questões envolvendo a tarifa de energia elétrica no estado. O prazo para que todo o conteúdo do site seja retirado do ar passa a valer no prazo de 24 horas da ciência das decisões. Às 12h50 desta sexta-feira (19), a assessoria jurídica de Requião informou ao G1 que o procedimento será feito a partir da 0h de sábado (20).

TSE alerta para riscos de e-mails falsos sobre cancelamento de título

A poucos dias do primeiro turno das eleições, alguns eleitores voltaram a receber e-mails alertando para o suposto cancelamento do título eleitoral, em decorrência de irregularidades no Cadastro de Pessoa Física. Entretanto, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) alerta: trata-se de uma mensagem falsa, já que nem a corte nem a maioria dos Tribunais Regionais Eleitorais enviam correspondências eletrônicas deste tipo. A Justiça Eleitoral informa que não envia e-mails a eleitores para comunicar cancelamento de títulos eleitorais ou para convocar mesários -com exceção do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio Grande do Sul (TRE/RS), que, mediante prévia e específica autorização do convocado, se utiliza desse tipo de correspondência para recrutar seus mesários, informou o TSE, em nota. No mais recente e-mail em circulação, que tem como suposto destinatário o endereço eletrônico info@tse.jus.br, a mensagem pede ao usuário que clique em um link -apontado como o endereço do protocolo sobre a ocorrência-, para regulamentar a situação eleitoral. Segundo o TSE, porém, o usuário não deve clicar na mensagem, que deve ser imediatamente apagada. O TSE ressalta que não autoriza qualquer outra instituição a enviar e-mails em seu nome. Mensagens dessa natureza devem ser apagadas, pois podem conter vírus de computador ou qualquer outro software malicioso, esclarece. O golpe do envio de e-mails falsos a partir de endereços eletrônicos supostamente de origem do TSE ou de Tribunais Regionais é antigo, mas volta a acontecer praticamente a cada dois anos, em cada nova eleição.



Elementos invadem presídio e são recebidos a tiros

De acordo com O Diário de Maringá após pular muro lateral, trio se esgueirou por entre carros apreendidos para se aproximar do muro do minipresídio Essa foi a quinta tentativa de invasão rechaçada pela polícia neste ano; criminosos arremessaram drogas no pátio Três indivíduos desconhecidos invadiram na madrugada de ontem o pátio da 9ª Subdivisão Policial (SDP), de Maringá, e foram recebidos a tiros pela polícia. A intenção do trio era repassar drogas, fumo e celulares para um grupo de detentos que aguarda julgamento no minipresídio. Ninguém ficou ferido, mas a invasão levou a Polícia Civil a reformular o sistema de segurança no entorno da cadeia. De acordo com a polícia, a invasão ocorreu por volta das 2h30, depois de três homens usando blusas de frio e com os rostos cobertos por capuzes pularem um portão da 9ª SDP instalado na Rua Jorge Ferreira Duque Estrada, Vila Progresso. Aproveitando da escuridão, os invasores se esgueiraram por entre os veículos apreendidos até se aproximarem do muro que circunda o minipresídio. Após alcançar um ponto ermo, o trio lançou vários pacotes sobre o muro . Ainda de acordo com a polícia, a invasão foi registrada por câmeras de segurança instaladas em vários pontos do pátio e denunciada por sensores de movimento. Alertados da situação, um grupo de investigadores tentou deter os invasores, mas o trio não obedeceu as ordens de parada e saiu correndo em direção do portão. Nem mesmo os tiros de advertência foram suficientes para fazê-los se render. Acionada, a Polícia Militar (PM) ajudou a fazer buscas pela região, mas os suspeitos não foram localizados. Momentos depois, os investigadores localizaram 350 gramas de maconha, dois aparelhos celulares e sete pacotes de fumo de corda no pátio de sol da cadeia. O material foi recolhido e anexado a um inquérito policial.

Fonte: O Diário

Governo aguarda sindicância para definir afastamentos no IBGE



A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse neste sábado (20) que o governo irá esperar a conclusão do trabalho da comissão de sindicância, que irá apurar o erro do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2013, para tomar providências sobre possíveis afastamentos de responsáveis do órgão. A comissão terá 30 dias para analisar os fatos e a responsabilidade funcional e será formada por integrantes da Casa Civil, dos ministérios do Planejamento e da Justiça e da Controladoria-Geral da União (CGU). Segundo a ministra, o governo "ficou chocado com o erro", considerado gravíssimo. Além da comissão de sindicância, um grupo de especialistas independentes irá avaliar a consistência da Pnad de 2013, para ver se há algum outro problema no estudo. Os nomes devem ser divulgados na próxima terça-feira (23). Na sexta-feira (19), o IBGE divulgou uma correção da análise de dados da Pnad, divulgada na última quinta-feira (18), o que levou a erro em alguns resultados das estimativas. O índice de Gini, que mede a desigualdade no país, em 2012 estava em 0,496 e, em 2013, caiu para 0,495, o que mostra redução na desigualdade, ao invés do aumento para 0,498 divulgado anteriormente. O erro ocorreu porque foi superestimada a população das regiões metropolitanas de sete estados que têm mais de uma região metropolitana, onde foi considerado o peso da região metropolitana do estado inteiro, e não apenas o da capital. Isso influenciou no cálculo de dados como o índice de Gini. Outros dados como o rendimento da população, taxas de analfabetismo e de desocupação também sofreram alterações. Miriam Belchior destacou a rapidez com que o IBGE corrigiu os dados. "Isso não apaga o erro, que é gravíssimo, mas colocou à disposição da sociedade de forma transparente o mais rápido possível, as informações corrigidas." Segundo a ministra, ao ser informada do erro do IBGE, a presidenta Dilma Rousseff demonstrou perplexidade por um erro básico como o fato de não ter sido feito um processo de checagem e rechecagem dos dados. Para a ministra, não há problemas de orçamento e de pessoal no IBGE. "Houve um problema técnico básico de não ter sido feita a checagem dos dados", destacou. Nesta sexta, a presidenta do IBGE, Wasmália Bivar, pediu desculpas a toda a sociedade pelo erro, mas afirmou que, do ponto de vista significativo, os resultados não mudaram substancialmente. Também participam da coletiva a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, o ministro da Educação, Henrique Paim, e o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri. Em nota divulgada durante a coletiva, o governo afirma que os novos dados da Pnad reafirmam a trajetória de queda das desigualdades e mantêm as principais tendências verificadas nesta década.

Proposta obriga médico a notificar empregador sobre atestado

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 7360/14, do deputado Newton Lima (PT-SP), que obriga o médico a notificar o Sistema Único de Saúde (SUS) e o empregador da necessidade de afastamento do empregado do trabalho por motivo de doença. O projeto acrescenta dispositivo à Lei 8.213/91, que trata dos Planos de Benefícios da Previdência Social. "Inúmeras são as reclamações de empregadores que têm sido vítimas do conluio entre empregados e médicos para a emissão de atestado médico, que nem sempre correspondem ao verdadeiro estado de saúde do empregado", afirma o autor da proposta. "As consequências são sérias para a empresa, gerando alto absenteísmo e grandes perdas com a produtividade." Para Newton Lima, o Legislativo precisa intervir para disciplinar as relações entre médico, empregado e empregador. Ao impor a obrigação para os médicos de comunicar os empregadores da necessidade de afastamento do trabalho, a ideia do parlamentar é "promover uma relação mais direta entre os dois, de modo a inibir esse tipo de prática pouco ética que vem ocorrendo nos dias de hoje". "A importância de se notificar o SUS se justifica também, pois o pagamento do auxílio-saúde fica a cargo da Previdência Social a partir do 16º dia de afastamento do empregado", completa. De caráter conclusivo, a proposta será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.frai.