quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Organizador de rolezinho é morto por amigo em São Paulo



O adolescente Leonardo Henrique Soares Alvarenga, 16, morreu madrugada de segunda-feira (27) ao ser baleado na cabeça por um amigo, o funileiro Leonardo Pereira de Almeida, 18. O crime aconteceu em Itaquera, zona leste de São Paulo. Alvarenga ficou famoso por ajudar a organizar rolezinhos em shoppings centers. Ele tinha mais de 27 mil seguidores na rede social Facebook. De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 32º Distrito Policial, em Itaquera, a vítima estava em um carro com o autor do disparo e outros quatro adolescentes quando foi atingido. Ele chegou a ser levado para o pronto-socorro do hospital Santa Marcelina, mas não resistiu.À polícia os demais passageiros do veículo disseram que estavam voltando de uma festa quando foram abordados por motoqueiros que anunciaram o assalto e dispararam. Uma perícia realizada no carro, no entanto, comprovou Chamados para depor novamente, os jovens admitiram que Almeida disparou em Alvarenga com um revólver calibre 38 que ele acreditava estar descarregado. A arma foi emprestado por Robson dos Santos Lopes, 30. Os dois foram presos pela polícia. A família da vítima diz acreditar que o crime tenha sido premeditado – parentes de Alvarenga afirmaram que o atirador tinha 'inveja' do amigo. A reportagem não conseguiu localizar os advogados dos acusados. Eles irão responder por homicídio simples, favorecimento pessoal, comunicação falsa de crime e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.que o disparo partiu de dentro do automóvel.

Eleições de diretores de escolas do Paraná são suspensas pelo governo



A Secretaria de Estado da Educação do Paraná (SEED) suspendeu nesta quarta-feira (29) as eleições para diretores de escolas da rede pública estadual – previstas para o dia 26 de novembro. Segundo a SEED, a suspensão é temporária, até que a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprecia um projeto de prorrogação de mandato por um ano para os atuais diretores.O projeto deveria ter sido votado nesta quarta (29), através de uma Comissão Geral convocada pela liderança do governo na Casa. Com o mecanismo, o projeto seria dispensado de discussões em comissões específicas e poderia ter a tramitação acelerada. Uma manobra de deputados da oposição, porém, fez com que não houvesse quórum para votação do projeto nesta sessão. A sessão ordinária desta quarta chegou a ter início com a presença de 39 deputados, quando foram aprovados oito projetos de lei. No início da sessão de Comissão Geral, no entanto, alguns parlamentares do PT, PMDB, PRB e PV que estavam presentes se recusaram a registrar presença na nova sessão. Assim, apenas 25 deputados se registraram, e o quórum mínimo de 28 parlamentares não foi atingido. Segundo o líder do PT na Alep, Tadeu Veneri (PT), a ação foi motivada pelo pouco tempo para discussão, uma vez que o projeto chegou há dois dias na Casa. A proposta deve voltar à pauta apenas na segunda-feira (3).O governo defende a prorrogação do mandato dos atuais diretores, e diretores auxiliares por um ano – expirando em dezembro de 2015. O objetivo, segundo a justificativa do projeto, é promover um debate para rediscutir o modelo atual de eleição dos diretores. O projeto não informa que tipo de mudanças devem ser feitas no formato atual das eleições, mas, conforme o governo, a intenção é vincular a discussão à elaboração de um Plano Estadual de Educação. O sindicato que representa os professores (APP-Sindicato), no entanto, se posicionou contrário à extensão do mandato por mais um ano. Segundo a categoria, a mudança na data do pleito – previsto para 26 de novembro – fere a legislação e a democracia. O sindicato ainda questiona o tipo de mudanças que o governo pretende instituir na escolha dos diretores.Atualmente, os diretores e vice-diretores são eleitos no mês de novembro, a cada três anos, através de voto por chapa, direto, secreto e facultativo dos membros da Comunidade Escolar. Podem votar os professores, funcionários, alunos do Ensino Médio, representantes de alunos menores de 16 anos e não votantes, e alunos com pelo menos 16 anos do Ensino Fundamental. O mandato dos atual diretores se expira em 31 de dezembro de 2014. O pleito deste ano está previsto, a princípio, para o dia 26 de novembro. O prazo para inscrição de chapas se encerrou nesta quarta (29).

Multas de trânsito vão subir até 900% a partir de sábado



A partir deste sábado, arriscar-se em ultrapassagens perigosas vai custar mais caro para motoristas que forem flagrados pela fiscalização. Nesta data entra em vigor a lei federal que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Entre as onze mudanças no código, estão as que aumentam a multa para esse tipo de infração e ainda as que endurecem o valor imposto a motoristas que praticam rachas. Em 2013, foram registadas 285.889 infrações, em casos que sofrerão punição mais severa; este ano, elas já somam 233.077. No caso de ultrapassagens em que se força uma manobra perigosa com veículo vindo em sentido contrário, o valor da penalidade aumenta mil por cento, de R$ 191,54 para R$ 1.915,40. A multa para quem ultrapassar pelo acostamento, hoje de R$ 127,69, passará a R$ 957,70, uma alta de 650%. E as ultrapassagens em local proibido sofrerão reajuste de 500%, indo dos atuais R$ 191,54 para R$ 957,70. A percentagem valerá ainda para infrações como ultrapassagem em subidas, curvas e locais sem visibilidade. Os rachas, se terminarem em acidente com morte, poderão levar o culpado a passar de cinco a dez anos na prisão. Sem vítimas, se a prática for flagrada, pode terminar em pena de três anos de prisão para os motoristas, e em multa mais cara: dos R$ 574,62 atuais, passará para R$ 1.915,40. Caso haja vítimas não fatais, a pena prevista no código modificado é de seis anos de prisão. De acordo com o Denatran, as infrações, além de passíveis de cobranças mais caras, são consideradas gravíssimas e valem a retirada de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. A nova lei prevê ainda que ultrapassagens perigosas e rachas custem aos motoristas envolvidos 12 meses sem o direito de dirigir. Já se o culpado for reincidente, o valor da multa dobra. Em nota, o Denatran afirmou que “o objetivo das mudanças é aumentar a segurança de motoristas e pedestres e das infraestruturas urbanas numa combinação de medidas que inclui a cooperação nacional, a partilha de boas práticas, a realização de estudos de investigação, a organização de campanhas de sensibilização e a adoção de regulamentação”. No texto, o órgão diz ainda que pretende “incentivar os motoristas a conduzirem os veículos de forma segura”. A Polícia Rodoviária Federal informou que, como os pardais não conseguem detectar detalhes além de excesso de velocidade, a fiscalização será feita “onde houver presença de agente de trânsito ou aparelhos de videomonitoramento”.