terça-feira, 11 de novembro de 2014

Desconto de 10% para pagamento do IPVA vale até 2 de janeiro no Paraná



O desconto de 10% para pagamento à vista do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no Paraná terá validade para recolhimentos efetuados até o dia 2 de janeiro de 2015. O novo percentual de desconto foi aprovado recentemente pela Assembleia Legislativa (Alep) e teve a regulamentação estabelecida por decreto do governo estadual nesta terça (11). Até 2014, o recolhimento do IPVA era feito apenas com 5% de desconto para pagamentos em cota única, até o mês de fevereiro. Esta modalidade de desconto segue sendo possível, assim como o parcelamento em cinco meses, a partir de março. Segundo o governo, os proprietários de veículos devem receber o boleto para pagamento no início do mês de dezembro, pelos Correios.Ainda conforme o governo, os descontos estão disponíveis mesmo para quem não pagou o IPVA de exercícios anteriores. Quem não receber o boleto pelos Correios pode imprimi-lo no site da Secretaria Estadual da Fazenda. Outra mudança recém-aprovada está no prazo para comunicar a venda de veículos ao Detran. O período máximo agora é de 30 dias, e, em caso de descumprimento, o antigo dono pode ser responsabilizado pelo pagamento do imposto.


Prefeitura de Sarandi abre licitação para a compra de uniformes escolares

A Prefeitura de Sarandi abriu licitação para a compra dos uniformes escolares destinados aos alunos da rede municipal de ensino. Serão adquiridos 11 mil kits, a licitação é na modalidade pregão presencial, tipo menor  preço por item.
O valor máximo a ser pago é de R$ 1.041.260,00, o kit é composto por 1 calça, 2 camisetas e 1 bermuda.
A data para entrega dos documentos para credenciamento e entrega dos envelopes é 3 de dezembro de 2014 as 9 horas. Local e horário da realização da sessão pública na sala de licitações na Rua Emiliano de Gusmão, 500, centro.
As informações complementares poderão ser obtidas no departamento de licitações compras e patrimônio, paço municipal-fone (044) 3264-8623-fax (044) 3264-8628. Email:licitacaopms@hotmail.com. O edital completo poderá ser retirado no site: http:/www.sarandi.pr.gov.br.

Assessoria de Comunicação de Sarandi

Menina de oito anos morre afogada em piscina de hotel



Uma menina de oito anos morreu depois de se afogar na piscina de um hotel em Dois Vizinhos, no sudoeste do Paraná, na noite de segunda-feira (10). Segundo a polícia, a criança, que morava na vizinhança do estabelecimento, entrou provavelmente por uma cerca de alambrado nos fundos para chegar até o local. Ela foi encontrada por uma hóspede, já boiando, por volta das 21h. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e a menina chegou a ser socorrida e encaminhada ao hospital, mas não resistiu. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Francisco Beltrão, onde passou por exames que podem indicar a causa da morte. Aos pais, os médicos disseram que foi encontrada água nos pulmões, o que indica o afogamento. O sepultamento deverá ocorrer na quarta-feira (12), no cemitério municipal.À tarde, peritos farão uma vistoria no local onde a menina foi encontrada e nos arredores para se saber como ela teve acesso à piscina. Os pais também serão novamente interrogados. Eles disseram que a filha saiu de casa com amigos pouco depois das 16h. O grupo retornou perto das 19h, já sem a menina, quando as buscas começaram. “O hotel só tem câmeras na frente e não pega a área da piscina, que fica nos fundos, o que dificulta o nosso trabalho. Mas vamos apurar as eventuais responsabilidades”, observou o delegado João Marcelo Chagas, que abriu inquérito policial para investigar o caso.“Isso nunca ocorreu antes. O hotel tem responsabilidades pelos hóspedes. Como a menina não era hóspede, temos que saber exatamente como ela chegou até a piscina. Como é que uma menina de oito anos estava aqui sozinha? A polícia vai fazer a averiguação do que efetivamente ocorreu e precisa apontar como ela veio e se estava mesmo sozinha”, comentou o advogado do hotel, Vagner Brunn.


Fonte: G1 Paraná

moradores organizam vigília após aparecimento de "noiva fantasma"



Um fenômeno no mínimo macabro vem colocando um ponto de interrogação na cabeça de moradores de Itaperuçu e Rio Branco do Sul, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com relatos de moradores, uma “Noiva Fantasma” teria aparecido na noite deste domingo (9) na Avenida Industrial, uma via cercada de matagais que liga os dois municípios.De acordo com Ivo Faria, responsável pelo Jornal Expresso e que divulgou as imagens, o vídeo com a aparição se tornou o assunto da cidade nesta segunda-feira (10) e alguns moradores já organizam uma vigília para que a alma ‘descanse em paz’. “Eu sou professor e hoje a escola só falava disso. Para esta segunda à noite uma igreja já organiza uma vigília para proteger as duas cidades”, comentou. Faria conta que a localidade da Tacaniça, região onde ela foi vista, possui uma lenda que já vem dos anos 1960. Segundo a história, uma loira costumava aparecer em um campo de futebol e após a construção de uma escola, ela voltou a aparecer a noite nos corredores e banheiros. Outro ponto que alimenta a crença desta vez é o fato de a menos de 100 metros do local da aparição, existir uma conhecida casa de casamentos. As imagens divulgadas por Ivo foram feitas por Willian Polonha. “Muitos na internet estão dizendo que trata-se de uma brincadeira e deve ser, mas eu fiz as imagens e não estava participando disso. Estava passando com cinco amigos e filmei porque já tinha visto essa noiva por lá antes”, garantiu. Nas redes sociais, as repercussões são diversas. Enquanto alguns acreditam plenamente na aparição, outros criticam a “grande brincadeira” dessa mulher. “Que loucura fazer isso. Se aparece alguém e dá umas pedradas ou um tiro, está feito o problema. Povo maluco”, disse um internauta. Para os mais descrentes, as teorias também são muitas. Segundo um dos internautas, é estranho o vídeo começar a ser filmado exatamente nesse momento. Para outro, ela teria desembarcado de um carro e esse seria o motivo da intensa iluminação.









Fonte: (Banda B)










                

Preço de programa acaba em confusão em motel

A Polícia Militar foi acionada para resolver uma pendência financeira por conta de um programa sexual. O caso ocorrido no interior de um motel de Apucarana resultou na prisão de um rapaz de 20 anos por extorsão. A vítima relatou que tinha marcado o encontro por R$ 80. Porém, no motel, o preço foi elevado para R$ 2 mil. O desacordo gerou confusão e o suspeito passou a ameaçar a vítima caso não houvesse pagamento. O rapaz teria dito que iria quebrar o quarto do estabelecimento, chamar a polícia e a imprensa para expor a situação. A presença da PM no motel pôs fim ao imbróglio. Os dois envolvidos foram ouvidos, levados para a delegacia e o garoto de programa acabou autuado por extorsão.

Professor teria drogado alunos e estuprado menina

O professor de história Gustavo Montalvão Freixo, de 31 anos, foi denunciado à Justiça por estupro de vulnerável, indução ao uso de drogas e tráfico. Ele é acusado de ter fornecido LSD para sete alunos, com idades entre 13 e 15 anos, e de ter feito sexo com uma das meninas, de 14. Afastado da escola particular em que dava aulas havia sete anos, o professor recusou-se a prestar depoimento no inquérito policial. Anunciou aos investigadores que só falará à Justiça sobre as acusações. O jornal O Estado de S. Paulo procurou o advogado Fernando Maximo Pizarro Drummond, que defende o acusado, mas ele não foi localizado e não retornou as ligações da reportagem. A diretora da escola não quis dar entrevista. O caso aconteceu em 9 de outubro. O delegado Paulo Henrique Silva Pinto, da 38ª Delegacia de Polícia (DP), em Brás de Pina (zona norte do Rio), contou que, inicialmente, os jovens contaram aos parentes que havia ocorrido uma festa na casa de um dos adolescentes. Sob pressão das famílias, segundo o delegado, disseram que o professor havia fornecido quatro lâminas de LSD para o grupo - somente um dos meninos não teria experimentado a droga, por ser evangélico. A história foi publicada pelo jornal O Dia. O delegado disse que os alunos contaram que o professor vinha conversando com eles sobre os efeitos da droga e marcou para encontrá-los na casa de um estudante, que costuma ficar sozinho à tarde. Ele teria levado uma luz estroboscópica, como as de boate. Eram cinco meninas e dois meninos. O professor cobrou R$ 25 de cada um, afirmou o policial. Os adolescentes contaram em depoimento que alguns deles sofreram efeitos mais fortes do que os outros. Disseram ainda que o professor beijou duas alunas e foi com outra para o quarto, onde tiveram relações sexuais. Depois que o professor saiu, os alunos foram para a casa de outra colega. Um deles ainda estaria sofrendo alucinações. "É bárbaro porque você tem duas referências nessa fase da vida - os pais e a escola. Você deposita muita confiança no professor. Ele é um formador de opinião. Denunciei como estupro porque não se pode considerar consensual o sexo com uma adolescente de 14 anos que está sob efeito de droga. Ela tinha capacidade de discernimento? Ao meu ver, não", disse o delegado. Na denúncia do Ministério Público Estadual, o promotor Alexandre Themístocles relata que o professor confirmou à direção da escola a ida à casa do estudante para dar "aula extra", procedimento proibido por lei, mas negou ter levado a droga. O pai de uma estudante decidiu tornar pública a história depois que os jovens passaram a ser perseguidos por colegas e deixaram de ir às aulas. "Ele é um professor muito querido na escola. Os outros estudantes passaram a perseguir os alunos envolvidos, eles foram chamados de drogados nas redes sociais, passaram a sofrer bullying. Os colegas não acreditavam no que contavam os alunos aliciados pelo professor", contou o delegado. Os jovens passaram por exames de corpo de delito e de urina, para detectar a presença da droga no organismo. Os laudos serão anexados ao processo.