Preso assessor do Governor Beto Richa

Marcelo Caramori, assessor da governadoria do Paraná, conforme consta no Portal da Transparência do Estado, foi preso na tarde desta quinta-feira (29) por suspeita de favorecimento e exploração sexual de menores em Londrina, no norte do estado. Segundo a promotora da 6ª Vara Criminal de Londrina Caroline Esteves, responsável pela investigação, ele aliciava adolescentes com idade entre 14 e 18 anos."Há diversos elementos que comprovam que ele praticou o crime inúmeras vezes. Ele estava sendo investigado há algum tempo e as provas, até agora, são suficientes para comprovar a prática da exploração sexual de adolescentes", diz a promotora. O governo estadual nega que Caramori era assessor. De acordo com o governo estadual, ele era servidor público, exercendo a função de fotógrafo, em Londrina. Caramori foi exonerado logo depois da prisão, ainda conforme o governo estadual. No Portal da Transparência, no entanto, o nome do suspeito consta como "assessor da governadoria", ativo, em cargo comissionado.Com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o mandado foi cumprido na casa em que Caramori vivia, onde foram apreendidos vários computadores e CDs para procurar mais indícios dos crimes. A investigação, segundo Caroline, continua. O advogado de Caramori, Leonardo Vianna, disse que ainda não teve acesso ao processo e que, por isso, não se pronunciará sobre quais medidas serão tomadas. Ele reiterou que não há como comprovar os crimes, por ora. “Não há acusação nenhuma ainda. Tudo o que a polícia disser, neste momento, é precipitado. É uma investigação. Ele foi detido para haver maiores esclarecimentos”. O fotógrafo foi levado para a delegacia do Gaeco em Londrina, onde permanecia preso no começo da noite desta quinta-feira.



Comentários

As mais visitadas

CCJ aprova PEC que exige nível superior para cargos públicos de confiança

Motoristas de carros com câmbio automático podem ganhar CNH específica

Membros do 1º Conselho Municipal da Cultura tomam posse