Pressão popular obriga Câmara de Jacarezinho reduzir salários



Os vereadores de Jacarezinho, no norte do Paraná, votaram nesta segunda-feira (10) um projeto de lei para reduzir os salários dos vereadores que vão assumir a partir de 1º de janeiro de 2017. Também foi revogada uma medida que aumentava o número de cadeiras de nove para 13 na próxima legislatura. A sessão desta segunda foi marcada pela restrição de acesso ao Plenário. Apenas 100 pessoas e mais os jornalistas puderam acompanhar os trabalhos. No projeto de redução, os parlamentares aceitaram um corte de 30% nos valores pagos atualmente. Dos atuais R$ 6,2 mil, os próximos vereadores passarão a receber R$ 4.340,00.A medida desagradou os moradores que acompanharam os trabalhos. Na segunda-feira (3), um grupo protestou pedindo a aprovação de um projeto que reduziria os vencimentos da próxima legislatura para apenas um salário mínimo. Houve confusão entre os moradores e os parlamentares. O presidente da Câmara, vereador Valdir Maldonado (PDT), precisou sair de camburão, escoltado pela Polícia Militar. Desta vez, Maldonado restringiu o acesso com a ajuda de seguranças. Ao final dos trabalhos, o vereador esperou os manifestantes se dispersarem, antes de ir embora. Ele não quis falar com a imprensa. Para os representantes do movimento que ocupou a Câmara de Vereadores, a aprovação do projeto nesta segunda-feira representou uma vitória parcial. Eles informaram que vão continuar insistindo para que os parlamentares aprovem a redução do subsídio para um salário mínimo. Salário menor A iniciativa dos moradores de Jacarezinho foi motivada pela atitude de quem vive na cidade vizinha, Santo Antônio da Platina. Em julho, um vídeo de uma moradora reclamando da votação em que os vereadores aumentavam os próprios salários viralizou na internet e mobilizou os moradores em torno da causa. No dia seguinte, quando ocorreria a segunda discussão da proposta, os parlamentares foram surpreendidos com as galerias cheias durante a votação. Devido à pressão popular, os parlamentares acabaram reduzindo os próprios salários para R$ 970. Na proposta inicial, o presidente da Câmara teria um aumento de R$ 4 mil para R$ 8,5 mil e os demais vereadores receberiam R$ 7,5 mil. Atualmente, eles ganham R$ 3,7 mil. Além dos vereadores, a população conseguiu também que o salário do prefeito fosse reduzido de R$ 14 mil para R$ 12 mil. Inicialmente, o valor atual iria subir para R$ 22 mil.

Comentários

As mais visitadas

Jovem morre ao ser atingido por raio

Estudante é levado à delegacia por ato obsceno dentro de biblioteca de universidade, em Maringá

CRM-PR retira indicativo de interdição ética da UPA de Sarandi