Governo Dilma anuncia CPMF a 0,2% para aumentar arrecadação



O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, acaba de anunciar que o governo irá reeditar a CPMF (o imposto sobre todas as operações financeiras) com alíquota de 0,2%, e não mais os 0,38% que tinham sido cogitados há algumas semanas. A medida faz parte do pacote para cobrir o rombo de R$ 30,5 bilhões do orçamento do ano que vem e aumentar a arrecadação. R$ 26 bilhões serão compensados com cortes de despesas. Outros R$ 40 bilhões para completar o ajuste nas contas públicas devem vir novas receitas, entre elas a volta da CPMF, que deve responder por R$ 32 bilhões. Levy justificou que a alíquota para a CPMF foi definida “no mínimo” necessário para manter o equilíbrio financeiro. “Comparada com alternativas que iriam onerar de forma desvantajosa a indústria, por exemplo, e de consultas com parlamentares e empresários, vimos que essa seria a forma mais eficiente”, afirmou. Além da volta da CPMF, o governo anunciou também a tributação progressiva na alíquota de IR (Imposto de Renda) de pessoa física, que deve impactar em 1,8 bi no orçamento.

Comentários

As mais visitadas

Jovem morre ao ser atingido por raio

Estudante é levado à delegacia por ato obsceno dentro de biblioteca de universidade, em Maringá

CRM-PR retira indicativo de interdição ética da UPA de Sarandi