Delegado é preso acusado de executar suspeito de homicídio de ex-prefeito

Rubens Recalcatti, delegado-chefe da Divisão de Crimes contra o Patrimônio, em Curitiba, foi preso na manhã desta terça-feira (13), durante a operação Aquiles, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Ele é acusado matar um suspeito que teria participado da morte do ex-prefeito de Rio Branco do Sul, região metropolitana de Curitiba. O Ministério Público investiga o assassinato de João Dirceu Nazzari, mais conhecido como João da Brascal, no dia 12 de abril deste ano. Nazzari foi prefeito de Rio Branco do Sul entre 1997 e 2000. Segundo as investigações, dois homens encapuzados entraram em uma quadra esportiva e dispararam contra ele. Um funcionário do ex-prefeito também morreu na ocasião. As investigações acerca da prisão do delegado, por sua vez, apuram as circunstâncias de uma morte ocorrida em abril deste ano, na região Metropolitana de Curitiba, em um suposto confronto com a Polícia Civil. Até o momento, cinco mandados de prisão temporária foram cumpridos em Curitiba, contra policiais civis (entre eles um delegado de polícia). Em uma das buscas realizadas, foi apreendido um revólver, calibre 38, sem registro. Também foram apreendidos pen drives, documentos e valores em dinheiro. Recalcatti foi candidato a deputado estadual em 2014 pelo Partido Social Democrático (PSD). Ele foi obteve mais de 40 mil votos e não foi eleito. Atualmente, ele é suplente de deputado estadual pelo mesmo partido.


Comentários

As mais visitadas

CCJ aprova PEC que exige nível superior para cargos públicos de confiança

Motoristas de carros com câmbio automático podem ganhar CNH específica

Membros do 1º Conselho Municipal da Cultura tomam posse