Dólar mais alto deixa o brasileiro mais pobre



O dólar comercial voltou a passar de R$ 4 nesta segunda-feira (21), após a troca do ministro da Fazenda. A moeda norte-americana fechou em alta de 1,93%, a R$ 4,023 na venda. É o maior valor desde 29 de setembro, quando fechou cotado a R$ 4,059. Na semana passada, o dólar havia acumulado alta de 1,88% e fechado a R$ 3,947 na sexta-feira. 

Brasileiro mais pobre

Muitas pessoas acham que isso não as afeta, pois não ganham em dólar nem pretendem viajar para o exterior em breve. A verdade, porém, é que o dólar mais alto deixou o brasileiro mais pobre. "O impacto da alta do dólar na vida das pessoas vai chegar a todos, inclusive à dona de casa", diz Edgar de Sá, economista-chefe da FN Capital. Um dólar tão valorizado retrata uma economia que está em desequilíbrio, segundo o professor da Escola de Economia de São Paulo da FGV Clemens Nunes. Segundo ele, o Brasil está em situação de desequilíbrio fiscal, o que mostra que o governo gasta mais do que ganha, e os investidores não enxergam uma solução sustentável para esse problema num futuro próximo. "Não há perspectiva de melhora. A consequência disso é que o real se desvaloriza e ficamos mais pobres. Perdemos poder de compra em relação ao resto do mundo."

Comentários

As mais visitadas

Sarandi vai receber Ônibus Lilás

Cinco pessoas entre elas quatro crianças morrem em acidente na PR-567 em Cianorte