quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Homem é morto por policial após assaltar mercado em Arapongas



Um homem morreu após trocar tiros com um policial militar no final da manhã desta quarta-feira (11) no distrito de Aricanduva, em Arapongas. Segundo informações da 7ª Companhia, dois homens roubaram um supermercado e fugiram em uma motocicleta. Testemunhas do roubo avisaram um policial a paisana que passava pelo local em seu carro particular sobre a ocorrência. Ele seguiu os assaltantes e houve troca de tiros. Um dos assaltantes, Mailon Rodrigo Ferreira, de 21 anos, que portava um revólver calibre 32 e estava na garupa, morreu ainda no local. Seu corpo foi levado ao IML de Apucarana, onde foi identificado. O condutor da motocicleta, Adriano Aparecido de Oliveira, de 26, foi preso por participação no assalto. O veículo tinha a placa adulterada com fita isolante.

'Tratoraço' voltará a ser votado nesta quinta na Assembleia



O presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano (PSDB) retomou, por volta das 14h30, os trabalhos para votar o requerimento de abertura da comissão geral, apelidada de 'tratoraço', para aprovar a toque de caixa dos projetos do governo do estado de ajuste fiscal e alteração na previdência dos servidores públicos, o chamado 'pacotaço'. Apenas 46 dos 54 deputados estão presentes. Como o plenário está ocupado por servidores desde o início da noite de terça (10), a sessão foi realizada em uma sala ao lado do restaurante, no quinto andar do prédio administrativo. Apenas deputados, assessores e jornalistas previamente cadastrados foram autorizados a entrar. Como a sessão de terça-feira foi encerrada, o requerimento para a comissão geral foi apresentado novamente, podendo ser analisado somente em um prazo de 24 horas. A votação deve ocorrer na sessão desta quinta-feira (12). Sobre o pedido de reintegração de posse, que vale desde às 5h30 e prevê multa de R$ 10 mil/hora a três pessoas consideradas líderes do movimento, Traiano disse que a medida foi uma decisão conjunta com objetivo de garantir a segurança da casa. "Essa é a casa do povo. Tem que estar sempre aberta à população. O que nós não podemos é desrespeitar uma instituição de 163 anos, que tem o direito de exercer a sua autonomia e competência. AS invasões que ocorreram aqui são fruto de mobilizações de partidos extremistas e gente não comprometida ao movimento dos professores, o qual eu respeito", declarou o presidente. Segundo ele, só será possível fazer um balanço dos estragos causados no local assim que o plenário for desocupado. Tadeu Veneri (PT), líder da oposição, explicou porque oito deputados decidiram não participar da sessão em local alternativo. "Entendemos que esse debate tem que ser feito dentro do plenário. Estamos entrando com um mandado de segurança para que seja cumprido exatamente aquilo que está no regimento. Ou seja: comissão geral pode discutir matérias, mas não pode votar. Regimento que sempre foi desrespeitado, diga-se de passagem", disse o deputado, do lado de fora da sessão. 

 (com informações da repórter Mariana Franco Ramos/Equipe Folha)

MP denuncia ex-prefeito de Luiziana por usar cilindro de oxigênio para bombear chope



A Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público de Campo Mourão, na Região Central do Paraná, propôs ação civil pública contra o ex-prefeito de Luiziana (gestão 2009-2012) por ato de improbidade administrativa. Ele teria desviado o único cilindro de oxigênio disponível na Unidade de Saúde do Município, utilizando-o para bombear chope durante uma festa particular. O fato ocorreu na passagem de 2012 para 2013 e foi um dos últimos atos do então prefeito, cujo mandato encerrou-se no dia 31 de dezembro de 2012. Segundo a ação, a retirada do equipamento prejudicou o atendimento a uma paciente, que, na madrugada de 1.º de janeiro de 2013, foi levada à unidade com suspeita de infarto. Os profissionais que a atenderam, diante da gravidade do quadro, determinaram a remoção da mulher para Campo Mourão, a 30 quilômetros, onde ela poderia ser tratada adequadamente. Para manter a respiração da paciente durante o trajeto, era necessário utilizar balão de oxigênio. Entretanto, embora o Município dispusesse do equipamento portátil, este não se encontrava na Unidade de Saúde, razão pela qual a viagem precisou ser feita sem a oxigenação da paciente. No dia seguinte, já internada em Campo Mourão, a mulher morreu. O caso foi denunciado ao Ministério Público, que, durante as investigações, apurou que o aparelho havia sido retirado da Unidade de Saúde de Luiziana a mando do então prefeito. A Promotoria de Justiça constatou que o equipamento havia sido utilizado pela família do ex-gestor municipal para bombear chope em uma festa particular na passagem de ano. Fotos do cilindro sendo utilizado no Réveillon foram publicadas por seus próprios familiares numa rede social. Além de pedir a condenação do denunciado por ato de improbidade administrativa, a Promotoria requereu liminarmente, em vista da gravidade do fato, o afastamento do ex-prefeito, que atualmente ocupa o cargo de secretário municipal de Finanças de Luiziana. Informações para a imprensa com: 

Assessoria de Comunicação Ministério Público do Paraná

Invasão a assembléia legislativa do Paraná

Ocupação da Assembleia Legislativa pelos professores do Paarná, com cobertura da TV 15