quinta-feira, 28 de maio de 2015

Sarandi: Comunidade participa da VII Conferência dos direitos das crianças e Adolescentes



Centenas de pessoas estiveram no primeiro dia da VII Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente em Sarandi. Durante a abertura,jovens abrilhantaram o evento com um recital de poesias. A palestrante foi a doutora Verônica Muller e a Participação de Moussa Sow do Senegal.
Nesta sexta-feira (29) a conferência é no Salão Paroquial Nossa Senhora das Graças, a partir das 8 horas da manhã. A realização é do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes e Prefeitura de Sarandi.


Programação

DIA 29/05- Salão Paroquial Nossa Senhora das Graças

8h Coffee Break
8h30 Apresentação Cultural com as Crianças e Adolescentes da Rede Socioassistêncial
9h Leitura e aprovação do Regimento Interno
9h30 Início das discussões das propostas dos eixos temáticos por grupos
11h Dispensa para Almoço
13h às 15h Credenciamento para Eleição dos Delegados
13h Apresentação Cultural
13h30 Apresentação e Apresentação das Propostas
15h30 Coffee Break
16h Eleição dos Delegados
16h30 Encerramento



Assessoria de Comunicação de Sarandi

Câmara rejeita fim das coligações em eleições proporcionais



A Câmara dos Deputados decidiu nesta quinta-feira (28) manter a coligação entre partidos nas eleições proporcionais, quando são escolhidos deputados federais, deputados estaduais e vereadores. Os deputados rejeitaram a proposta de permitir a aliança entre partidos somente nas eleições majoritárias- para presidente da República, governador e prefeito.A votação foi parte da série de sessões iniciada nesta semana, destinada a analisar a proposta de emenda à Constituição da reforma política. Por decisão dos líderes partidários, cada ponto da PEC, como o fim da reeleição, será votado individualmente, com necessidade de 308 votos para a aprovação de cada item. Ao final, todo o teor da proposta de reforma política será votado em segundo turno. Se aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado. Na sessão desta quinta, antes de optar pela manutenção das coligações, a Câmara decidiu para segunda semana de junho a análise de três itens da reforma: duração dos mandatos de cargos eletivos, coincidência das eleições municipais e federais e cota para mulheres. Em discurso no plenário, o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG), defendeu o fim das coligações nas eleições proporcionais, com o argumento de que essa medida vai evitar alianças entre partidos com finalidade exclusivamente eleitoreira, ou seja, sem que as siglas tenham qualquer identidade ideológica. “Você vota em A e elege Z. Um partido A faz uma aliança com o PSDB no RN e com o PT em São Paulo. É um desalinhamento ideológico e político completo, que induz a sociedade ao erro”, disse o tucano.