Paraná tem 82 novos casos de gripe H1N1 em uma semana

O novo boletim da gripe divulgado nesta quarta-feira (29) pela Secretaria Estadual da Saúde confirma mais 82 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) no Paraná. Desde o início do ano, o Estado já confirmou 807 casos de SRAG por Influenza - quadros de gripe que se agravaram e em que foi necessária a internação do paciente.

Exames laboratoriais confirmaram que o vírus H1N1 é o que está em maior circulação no Estado neste período epidemiológico. Do total de confirmações, 751 são de H1N1, ou seja, 93,1% dos casos. A 2ª Regional de Saúde (Metropolitana de Curitiba) é a que mais apresentou casos no Paraná, seguida da 15ª (Maringá), com 24,9% (187 casos) e 19% (143 casos), respectivamente. 

As mortes por gripe chegaram a 136, distribuídas por 19 Regionais de Saúde, sendo 125 de H1N1. Curitiba concentra o maior número de óbitos causados pela doença, com 18 casos. Do total de mortes por gripe no Paraná, 34,6% (47 casos) estão relacionadas a pessoas com mais de 60 anos.

Veja a distribuição de mortes pela doença de acordo com as Regionais de Saúde:

1ª Regional de Saúde – Paranaguá: 4 mortes

2ª – Metropolitana de Curitiba: 28

3ª – Ponta Grossa: 9

4ª – Irati: 4

5ª – Guarapuava: 3 

7ª – Pato Branco: 2

8ª – Francisco Beltrão: 9

9ª – Foz do Iguaçu: 17

10ª – Cascavel: 8

11ª – Campo Mourão: 6

12ª – Umuarama: 2

13ª – Cianorte: 1

15ª – Maringá: 13

16ª – Apucarana: 5

17ª – Londrina: 11

18ª – Cornélio Procópio: 4 

19ª – Jacarezinho: 3 

20ª – Toledo: 6 

22ª – Ivaiporã: 1

PREVENÇÃO – De acordo com a médica e chefe do Centro de Epidemiologia da Secretaria da Saúde, Júlia Cordellini, a maneira mais eficaz para se proteger da gripe é a higiene das mãos. “Lavar as mãos com frequência deve se tornar um hábito. Esta é a melhor forma de se proteger não só da gripe, mas também de outras doenças”, afirma.

As superfícies e objetos que entram em contato frequente com as mãos, como mesas, teclados, maçanetas e corrimãos, devem ser limpos com álcool. Objetos de uso pessoal, como copos e talheres, não devem ser compartilhados. Também é necessário evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas.

Segunda Júlia, outra orientação importante é cobrir a boca e o nariz com um lenço descartável quando for tossir ou espirrar. “Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e a ingestão de líquidos também ajuda na manutenção da imunidade”, complementa.

Comentários

As mais visitadas

Jovem morre ao ser atingido por raio

Estudante é levado à delegacia por ato obsceno dentro de biblioteca de universidade, em Maringá

CRM-PR retira indicativo de interdição ética da UPA de Sarandi