terça-feira, 12 de julho de 2016

Professor é preso por suspeita de abuso sexual

A suspeita de invasão ao banco de dados de um colégio particular da cidade de Coronel Vivida, no Sudoeste, resultou na prisão de um professor de 21 anos que teria oferecido as respostas de uma prova a um adolescente. O aluno teria acesso ao gabarito em troca de favores sexuais. O delegado Rômulo Contin Ventrella, que atua em Coronel Vivida, ressaltou que a denúncia foi feita há dois meses pela direção da escola, após receber o relato do aluno. "Ele não aceitou a proposta e informou a direção do colégio. De imediato, os diretores pensaram que uma pessoa de fora teria invadido a rede interna de computadores para ter acesso às provas. Mas a investigação apontou que o próprio professor que dava aulas no colégio e tinha acesso livre ao sistema oferecia as provas pelas redes sociais", explicou o delegado. Conforme as investigações, o professor criou um perfil falso nas redes sociais e passou a assediar meninos na faixa etária de 15 anos. "Ele fazia um jogo de erro e acerto. Se alguém puxasse conversa, ele tentava assediar", explicou. Logo após a denúncia feita à direção da escola, o professor apagou o perfil falso das redes sociais. No entanto, a Polícia Civil conseguiu recuperar todas as informações relacionadas ao rapaz, inclusive as mensagens enviadas aos alunos. Pais dos adolescentes e funcionários do colégio foram ouvidos. "Outro adolescente, aluno da rede pública, disse que teve relações sexuais com o professor em duas ocasiões. Nesses episódios, o professor ofereceu dinheiro, bebida e cigarro", detalhou. O professor também atuava na cidade de Chopinzinho. Duas vítimas haviam sido identificadas até a tarde de ontem. Os dois adolescentes moram em Coronel Vivida. O professor preso neste final de semana não teve o nome divulgado e deve responder pelo crime de favorecimento à prostituição. A pena varia de 4 a 10 anos de prisão. Ele foi encaminhado à carceragem da cidade de Pato Branco.



Fonte: Bonde

Nenhum comentário: