sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Vereador e integrantes do MST são presos em operação da Polícia Civil

O vereador eleito em Quedas do Iguaçu, Claudelei Torrente de Lima (PT), e mais sete integrantes do Movimento Sem Terra (MST), inclusive o dirigente nacional do movimento, foram presos na manhã de sexta-feira (4), durante a operação Castra da Polícia Civil do Paraná. 

As investigações apontaram 14 pessoas envolvidas na organização criminosa suspeita de furtos, roubos, invasão de propriedade, incêndios criminosos, cárcere privado, lesão corporal, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e irrestrito e constrangimento ilegal.

As prisões e apreensões foram realizadas em Quedas do Iguaçu, Francisco Beltrão, Laranjeiras do Sul, e também em São Paulo e no Mato Grosso do Sul. Foram expedidos 14 mandados de prisão preventiva, 10 de busca e apreensão e ainda dois de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento na delegacia.

Ao todo, 70 policiais participam da operação. Estes de Cascavel, Francisco Beltrão e Laranjeiras do Sul, além da Denarc de Cascavel, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), do Tático Integrado Grupos de Repressão Especial (Tigre) e do Grupamento de Operações Aéreas (GOA).

A operação foi deflagrada, pois em março deste ano, após a invasão da Fazenda Dona Hilda, em Quedas do Iguaçu, empregados da propriedade foram mantidos em cárcere privado. O dono da propriedade relatou que após a invasão, 1300 cabeças de gado sumiram, o que deixou o prejuízo estimado em mais de R$ 5 milhões.

Segundo as investigações, os animais foram vendidos por integrantes do MST e eram transportados com documentação irregular.

Os alvos desta ação policial também cobravam uma taxa em dinheiro (de até R$ 35 mil) ou sacas de grão para autorizar que os donos fizessem a colheita da própria plantação.

Detalhes de como era a atuação do vereador Claudelei não foram divulgados. O vereador foi eleito nas últimas eleições e agora está preso.

Com informações: Catve

Nenhum comentário: