terça-feira, 22 de março de 2016

Motorista de ônibus morre após bater em caminhão

A Polícia Rodoviária Estadual de Paranavaí, no Noroeste do Estado, confirmou nesta terça-feira (22) a morte de um motorista da Viação Ouro Branco. O acidente aconteceu naDe acordo com a PRE, o motorista do ônibus, que estava sozinho, acabou batendo em uma carreta, que vinha no sentido contrário. O impacto foi tão forte que a cabine do coletivo acabou sendo arrancada. Chovia bastante na hora da colisão. Até o momento, a vítima não foi identificada. O condutor da carreta saiu ileso da batida. PR-218, no trecho que compreende a zona urbana de Paranavaí e o distrito de Graciosa.



Em assembléia servidores de Maringá aprovam greve a partir do dia 29



A partir da próxima terça-feira (29), os servidores municipais de Maringá vão cruzar os braços e paralisar as atividades. A greve foi aprovada na assembleia geral realizada na noite desta segunda-feira (21), na Câmara Municipal, após a categoria rejeitar, pela segunda vez, a proposta de reajuste salarial de 4%. A prefeitura deve ser notificada  nesta terça-feira (22) da decisão. O índice de 4% foi reiterado pelo prefeito Carlos Roberto Pupin (PP), esta tarde, em reunião com os representantes do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar). Desta vez, no entanto, a administração assumiu o compromisso de renegociar a situação a partir de novembro, após as eleições. Isso também exige que a data máxima para concessão do reajuste seja 4 de abril, antes do início do calendário eleitoral. A administração municipal alega que 4% é o máximo possível dentro da perspectiva de manutenção do equilíbrio das contas e da manutenção da folha de pagamento abaixo do índice de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 48,6%. O índice atual é de 44,9%. O Sismmar, que inicialmente apresentou proposta de aumento de 22% e depois reduziu para 17,5%, considera o sugerido como 'inadmissível' e reivindica, no mínimo, a reposição da inflação (11,08%). "Ficamos em estado de choque, perplexos. Não há possibilidade nenhuma de aceitar isso (4%)”, comenta a presidente Iraídes Baptistoni. Nesta terça-feira (22), representantes do Sismmar devem se reunir com os secretários de Saúde (Carmen Inocente) e Serviços Públicos (Dorvalino Lopes de Macedo), para defnir como será realizada a prestação de serviços considerados essenciais à população, no caso, o atendimento médico e a coleta de lixo. Oito dos 15 vereadores já demonstraram ser contrários aos 4% sugeridos pelo prefeito. Humberto Henrique, Ulisses Maia, Mário Verri, Bravin, Tenente Edson, Luizinho Gari e Da Silva, juntamente com o vereador Dr. Manoel, que é servidor e membro da atual diretoria do Sismmar, apoiam a categoria. Nesta terça-feira (22), servidores devem comparecer na sessão ordinária da Câmara, às 19h, para se posicionar e revindicar nova negociação.

Com informações O Diário