quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Senado aprova impeachment, Dilma perde mandato


O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (31), por 61 votos favoráveis e 20 contrários, o impeachment de Dilma Rousseff. A presidente afastada foi condenada sob a acusação de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal – as chamadas "pedaladas fiscais" no Plano Safra e os decretos que geraram gastos sem autorização do Congresso Nacional, mas não foi punida com a inabilitação para funções públicas.A decisão foi tomada na primeira votação do julgamento final do processo de impeachment. A pedido de senadores aliados de Dilma, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, decidiu realizar duas votações no plenário. A primeira, analisou apenas se a petista deveria perder o mandato de presidente da República. Na sequência, os senadores apreciaram se Dilma devia ficar inelegível por oito anos a partir de 1º de janeiro de 2019 e impedida de exercer qualquer função pública. Na votação, 42 senadores se posicionaram favoravelmente à inabilitação para funções públicas e 36 contrariamente. Outros 3 senadores se abstiveram. Para que ela ficasse impedida de exercer cargos públicos, eram necessários 54 votos favoráveis. Segundo a assessoria do Supremo, ainda nesta quarta, oficiais de Justiça notificarão a ex-presidente e o presidente em exercício Michel Temer sobre o resultado do julgamento. Temer deve ser empossado presidente da República ainda nesta quarta, em sessão do Congresso Nacional que será realizada no plenário da Câmara. Já Dilma deverá desocupar em até 30 dias o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, em Brasília, e terá reduzida para oito servidores sua equipe de assessores, seguranças e motorista.

Submetralhadora é apreendida com adolescente de 13 anos


Uma submetralhadora de fabricação caseira foi encontrada na mochila de uma adolescente de 13 anos dentro da escola onde a jovem estuda, na tarde de terça-feira (30), na cidade de Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. De acordo com o secretário municipal de Segurança de Novo Hamburgo, Felipe Nunes Ferreira, a direção da escola Hugo Engelmann acionou a Guara Municipal após encontrar o armamento com a jovem. “Ela disse que foi a irmã mais velha que colocou a arma na mochila”, relatou Ferreira, dizendo ainda que a arma é de fabricação caseira. “Foram encontrados quatro cartuchos, mas apenas a investigação vai apontar se a arma funcionava, e quem seria o responsável pela fabricação deste armamento”, afirmou.


Fonte: G1

Candidato a vereador é detido por ouvir rap muito alto


O candidato a vereador de Curitiba pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Renato Almeida Freitas Junior, foi detido pela Guarda Municipal por desacato e perturbação de sossego, na tarde desta quinta-feira (25). Ele estaria ouvindo rap em volume alto, no Centro de Curitiba. Segundo nota divulgada pela Guarda Municipal, no boletim de ocorrência feito pelos agentes que atuaram na detenção, foi informado que os guardas foram acionados por um funcionário da Casa da Leitura da Rua do Rosário.De acordo com a GM, o trabalhador relatou que Renato estava ouvindo música em alto volume e “causava perturbação”. No boletim, os guardas afirmaram que foram desacatados pelo candidato a vereador quando pediram que ele abaixasse o som. Renato foi encaminhado pelos guardas ao 3º Distrito Policial. No final da tarde desta quinta, Renato já tinha sido liberado do 3º Distrito. Emocionado, ele gravou um vídeo, que foi publicado no Facebook. Demonstrando nervosismo, Renato contou que o guarda chegou perguntando de quem era o carro estacionado, e que ele respondeu que era dele e a revista poderia ser feita, mas ele queria observar o procedimento. De acordo com ele, o agente respondeu “você não tem que deixar nada”.Renato contou que se identificou como advogado e mostrou os documentos e, segundo ele, o guarda teria questionado “por que você é advogado acha que pode dizer o que a polícia pode fazer?”. Depois disso, o candidato afirma ter sido agredido com soco na nuca e algemado. Ele disse que amigos deles também sofreram agressões. “Pisaram umas três vezes em mim”, comentou, no vídeo. Renato também relata ter sofrido ofensas raciais. Na delegacia, o advogado afirma que foi deixado nu. “Me despiram, na frente dos policiais civis – inclusive de uma policial mulher -, e me deixaram em uma cela”. Ainda conforme a nota da GM, “qualquer informação adicional sobre o caso pode ser encaminhada à Ouvidoria da Guarda Municipal, que faz apuração rigorosa de toda denúncia registrada”.

Assaltantes explodem caixas eletrônicos dentro do TRE


Por volta das 20 horas desta terça-feira (30), Policiais Militares do 9º Batalhão da Polícia Militar realizavam operação de rotina no Posto de Polícia Rodoviária localizado na Alexandra Matinhos, quando um veículo FORD/KA de cor branca acelerou ao receber ordem de parada. Durante a fuga, os Policiais Militares perceberam vários pacotes sendo arremessados pela janela do veículo. Com o auxílio de outra equipe da PM, o mesmo foi interceptado já na entrada da cidade, onde foi constatado o transporte de vários tabletes de maconha, totalizando aproximadamente 20kg (vinte quilos) da droga. O condutor, identificado como J .A.Q, foi detido e encaminhado para a Delegacia de Polícia de Matinhos, juntamente com o veículo e a droga, para as providências necessárias. Segundo informações do local, o automóvel pertencia à candidata a vereadora Simone Pereira (PSC), que já ocupou o cargo entre 2009 e 2012. Em declaração de bens prestada à Justiça Eleitoral este ano, Simone confirma a propriedade do veículo.

 Com informações, Rede News 24 Horas