segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Mulher é estuprada em Maringá

De acordo com informações, uma mulher foi estuprada  no Jardim Alvorada, Av. Franklin D. Rossovelt na noite desta segunda-feira (17), e deixada nua  sangrando no local. Segundo informações, nesse local tem uma mata fechada que não é cercada e de pouca iluminação, de onde ela saiu e pediu socorro. A vítima teria entrado em luta corporal com o criminoso. Populares   informaram que uma moça passava com uma Honda Biz pelo local e prestou os primeiros socorros a vitima, que foi conduzida ao Hospital Universitário.

Câmara instala esta semana comissão especial para discutir reforma política

Com calendário apertado diante de um tema que já provocou numerosos debates no Congresso, a Câmara terá, a partir desta semana, mais uma comissão especial. Desta vez, para tratar da reforma política. Novas mudanças nas regras eleitorais são um consenso entre os partidos, principalmente após as eleições municipais deste ano, as primeiras sem doações de empresas às campanhas. A impossibilidade do retorno do financiamento empresarial parece ser bandeira unânime. No entanto, existem divergências em relação ao sistema de votação e à necessidade de endurecimento das regras eleitorais. Relator do último colegiado a discutir reformas eleitorais na Câmara, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defende mudanças no sistema eleitoral após a derrubada do financiamento empresarial de campanhas. Para ele, o melhor modelo para acompanhar a mudança na regra das doações é a votação em lista fechada, na qual os eleitores votam nos partidos e cada legenda define internamente quem ocupará as vagas no parlamento. “No financiamento público só cabe lista fechada”, diz Maia. Segundo ele, o modelo traz economia. “Você faz eleição por estado. Em vez de 70 campanhas para deputado federal no estado do Rio de Janeiro, [o partido] vai fazer uma. Em vez de 100 campanhas para deputados estaduais, você vai fazer uma”, afirma. Líder do partido de Maia, o deputado Pauderney Avelino (AM) adota um tom mais moderado. “Precisamos primeiro fazer um rescaldo da campanha municipal e avaliar o que nos deixou de ensinamento”, diz. Avelino concorda que o financiamento privado de empresas não pode voltar à mesa de negociações e defende o endurecimento maior das regras eleitorais. “Precisamos ver coligações, representação de partidos e sistema de eleições. Se vamos, por exemplo, fazer em lista fechada, voto majoritário, distrital ou mista. Teremos 513 opiniões diferentes mas vamos trabalhar no sentido de que precisamos do consenso”, disse Avelino.




Agência Brasil

Moradora encontra arma em frente à casa em Maringá



Uma moradora de Maringá encontrou um objeto inusitado em frente a sua casa na Zona 3: uma arma. O revólver calibre 32 estava jogado na Travessa Botafogo e foi entregue à Polícia Militar. A mulher retornava da igreja para sua residência e notou a arma por volta das 21h45. Ela chamou os PMs para que o objeto fosse encaminhado à 9ª Subdivisão Policial. O revólver tinha numeração, o que vai ajudar a polícia na identificação do proprietário para saber como o objeto foi parar no meio da rua.


Com informações, Massa News

Professores estaduais entram em greve a partir de segunda-feira

Os professores da rede estadual de educação iniciam, nesta segunda-feira (17), uma greve geral em todo o Paraná. A decisão pela paralisação foi tomada na semana passada. A categoria cobra o pagamento de promoções e progressões acordada no último movimento dos professores do Paraná. No fim de semana os professores fizeram vigília e mobilização junto aos deputados e deputadas estaduais. Na terça-feira (18), depois da deflagração da greve, acontece um debate público sobre Ensino Médio no Centro Cívico, em Curitiba (com indicação de debates públicos pelo interior). Na quarta-feira está marcada uma nova rodada de negociações com a Secretaria de Estado da Educação, com algumas atividades marcadas pela categoria, como concentração em Curitiba. Na semana passada a Secretaria de Educação lamentou a decisão do sindicato dos professores de paralisar as atividades, que prejudica os mais de um milhão de estudantes da rede estadual do Paraná. E lembra que em relação ao calendário escolar, as reposições terão que avançar até 2017, pois as aulas deste ano terminam em 21 de dezembro, devido às duas paralisações de 2015.