terça-feira, 8 de novembro de 2016

Preso se veste de mulher e foge pela porta da frente da cadeia

A história de um preso que se vestiu de mulher e conseguiu sair pela porta da frente da cadeia de Loanda é digna de filme de comédia, porém, o final é um suspense que começa a ser desvendado. O fato aconteceu na última sexta-feira 04/11/2016 durante a visita semanal. O autor da proeza é acusado de ser chefe de uma quadrilha que assalta bancos.

A Polícia Civil abriu inquérito e investiga se houve conivência dos agentes de cadeia que trabalhavam no dia. Três servidores estiveram por alguns minutos em um quarto de aproximadamente 10 metros quadrados com o preso fantasiado e outras quatro mulheres. Eles afirmaram que não perceberam a farsa. Além disso, os mesmos agentes fizeram a contagem dos presos no interior da cadeia e não perceberam a falta do homem.

O fugitivo é o acusado de chefiar de a quadrilha que realizou o assalto ao Banco do Brasil em Querência do Norte. Ele foi preso na região de Apucarana no mês de janeiro deste ano e era mantido preso na cadeia de Loanda enquanto aguardava o julgamento pela justiça.

Fonte: Jornal Diário do Noroeste

Prefeito eleito Ulisses Maia inicia transição e anuncia equipe em Maringá


O prefeito eleito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), reuniu-se com o prefeito em exercício Roberto Pupin (PP), na tarde desta segunda-feira (7), para iniciar o processo de transição. Ele entregou um ofício em que pede uma lista de documentos para se inteirar sobre a administração municipal. Entre os documentos requisitados estão Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Lei Orçamentária Anual (LOA), relatório de execução orçamentária, contas públicas e saldos disponíveis, dívidas, precatórios não pagos, ações e projetos em andamento, convênios e contratos celebrados, servidores, bens e imóveis cedidos. No ofício é pedido que a lista seja entregue até o dia 17 de novembro. 


Ulisses Maia também indicou quem serão os integrantes da comissão de transição: 

 Alexis Kotsifas (advogado)

 Domingos Trevizan (jornalista)

Elizeu Fortes (advogado)

Jean Marques (procurador)

Laercio Fondazzi (ex-procurador do município e servidor municipal aposentado),

 Ricardo David (odontólogo)

Orlando Chiqueto Rodrigues (contador)

Roberta Pittarelli (jornalista)

Valkiria Tindade (educadora)

Mulher é presa ao tentar furtar picanha em supermercado no Centro de Maringá

Uma mulher foi presa ao tentar furtar produtos de um supermercado na tarde de segunda-feira (7), no Centro de Maringá. O caso aconteceu no cruzamento das avenidas Brasil e Paraná e mobilizou a Polícia Militar. Seguranças do supermercado flagraram quando a acusada tentou furtar uma peça de picanha e outras mercadorias, por isso, impediram sua saída do estabelecimento, acionando a PM. Os policiais foram até o local, efetuaram a prisão e levaram a ladra até a 9ª Subdivisão Policial, onde ela seria indiciada pelo furto.




Com informações, Massa News

Governo cancela 469 mil benefícios do Bolsa Família e bloqueia 667 mil


O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário encontrou irregularidades em 1,136 milhão de benefícios do Bolsa Família. Destes, 469 mil foram cancelados e 667 mil, bloqueados. No caso dos bloqueios, os usuários têm até três meses para comprovar que cumprem os requisitos do programa de distribuição de renda e podem voltar a receber o benefício. A pasta também convocou 1,4 milhão de famílias para fazer atualização cadastral em janeiro de 2017. Os dados são resultado de um pente-fino no Bolsa Família iniciado em junho, que envolveu diversas bases de dados nacionais. Os cancelamentos já começam a valer em novembro e terão impacto de R$ 1,024 bilhão na folha de pagamento do Bolsa Família. No caso dos bloqueios, o governo espera uma economia de R$ 1,428 bilhão, caso as irregularidades sejam confirmadas. Segundo o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, os recursos economizados com o fim de benefícios indevidos serão aplicados na própria área social. Parte desse dinheiro contribuirá, inclusive, para o ingresso de novos usuários no Bolsa Família. "Não houve, em nenhum momento, redução dos programas sociais. Não há nenhum direcionamento do governo para reduzir ou acabar com eles. Em junho, inclusive, nós reajustamos o Bolsa Família em 12,5%. O Orçamento de 2017 para o programa é superior ao de 2016. O reajuste deste ano foi acima da inflação e pode ser que tenha novamente [reajuste] no ano que vem", disse o ministro.