terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Enfermeira corta dedo de bebê em Hospital


(foto: Reprodução/Facebook)

Um bebê de apenas 11 meses teve um dedo da mão cortado no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. O incidente aconteceu na segunda-feira (12). Segundo relato da mãe no Facebook, uma enfermeira cortou o dedo da criança com uma tesoura. "Vejam o ponto que chegou a nossa saúde, meu menino veio consultar no hospital pequeno príncipe e se interno ,aí a enfermeira veio tirar o acesso do cateter do 'braço', ficou com preguiça de tirar com a mão a fita q estava isolando e corto com a tesoura arrancando seu dedinho :( (sic)" relatou na postagem. 

Em nota, o Hospital Pequeno Príncipe informou que lamentavelmente podem acontecer incidentes, como o ocorrido no dia 12 de dezembro de 2016. A instituição formalizou investigação e está apurando os fatos. Durante o processo o colaborador permanecerá afastado. 

Todas as medidas estão sendo tomadas para amparar a criança e a família. Equipe multidisciplinar foi designada para acompanhamento integral do paciente, que se encontra internado no hospítal em um quarto. "Vou querer indenização, e afastamento da enfermeira já me trouxeram para um quarto particular e meu filho está na sala de reconstrução ,isso é saúde brasileira (sic)", acrescentou a mãe, em postagem no Facebook.



Com informações: Bem Paraná

Suspeito de abusar sexualmente da filha de quatro anos é preso em Maringá


Esta preso na 9ª SDP de Maringá o servente de pedreiro de 25 anos, natural de Tocantins, acusado de ter abusado sexualmente da filha de 4 anos. 

A prisão foi feita na noite desta segunda-feira (12), pela Policia Militar de Maringá, sendo que a  esposa de 19 anos foi quem denunciou o marido na Polícia Civil e também o acusou de tê-la agredido.Ela disse ter notado um comportamento estranho na filha e a questionou sobre o que estava acontecendo.

 De acordo com a criança,o pai introduzia os dedos em seus órgãos genitais. O delegado de plantão, José Nunes Furtado, autuou o homem por estupro de vulnerável e a menina foi encaminhada ao Instituto Médico-Legal (IML) para exames.